Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Árvores para a região litorânea do sul do Brasil

Nas restingas e mangues da região litorânea do sul do Brasil (do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande Do Sul), vegetam espécies de árvores que merecem mais divulgação entre os paisagistas. Veja algumas abaixo:

Mimosa bimucronata

Nome Botânico Nome Popular
Alchornea glandulosa tanheiro  
Alchornea triplinervia pau-jangada  
Annona glabra araticum-da-praia  
Aspidosperma parvifolium guatambu-oliva  
Bactris setosa palmeira-coco-de-natal  
Blepharocalyx salicifolius murta  
Calophyllum brasiliensis guanandi
Calyptranthes concinna guamirim-facho  
Campomanesia xanthocarpa gabiroba-árvore  
Cariniana estrellensis jequitibá-branco  
Casearia decandra guaçatunga 
Cecropia pachystachya embaúba  
Cordia ecalyculata café-de-bugre  
Coussapoa microcarpa figueira-do-brejo
Cytharexyllum myrianthum tucaneiro  
Endlicheria paniculata canela-frade 
Erythrina speciosa mulungu-do-litoral  
Eugenia myrcianthes pêsego-do-mato
Eugenia uniflora pitanga
Euterpe edulis palmito-juçara  
Ficus enormis figueira-da-pedra  
Ficus organensis figueira-branca  
Garcinia gardneriana bacupari  
Gomidesia affinis aperta-guela
Guapira opposita flor-de-pérola  
Guarea macrophylla catiguá-morcego
Hirtella hebeclada macucurana  
Inga laurina ingá-da-praia
Inga marginata ingá-feijão  
Jacaranda micrantha carobão  
Mimosa bimucronata maricá  
Myrciaria trunciflora jabuticaba-de-cabinho
Nectandra rigida canela-ferrugem
Ocotea pulchella canela-lageana  
Ormosia arborea olho-de-cabra  
Psidium cattleianum araçá-amarelo  
Psychotria carthagenensis juruvarana
Rapanea parvifolia capororoca-miúda  
Rapanea umbellata capororoca  
Schinus terebinthifolius aroeira-pimenteira  
Sorocea bonplandii cincho  
Tabebuia cassinoides caixeta  
Tabebuia umbellata ipê-amarelo-do-brejo  
Tibouchina pulchra manacá-da-serra  
Trema micrantha grandiúva
Vernonia discolor vassourão-preto  
Xylopia brasiliensis pindaíba
Zollernia latifolia orelha-de-onça 

As espécies citadas acima emergem espontaneamente nas serras alcantiladas à beira-mar e naquelas acumulações arenosas que correm paralelas à costa, geralmente de forma alongada, conhecidas como restinga; algumas particularidades as diferenciam da flora encontrada no interior do continente. Esta vegetação costeira sofre a influência dos ventos salinos e de um solo que, por ser arenoso, é muito permeável e pobre de nutrientes.

Algumas árvores crescem nesses solos com pouquíssima umidade disponível, geralmente elevações; outras, pelo contrário, vivem bem em baixadas úmidas, nos alagados e nos mangues lodosos. Esse trecho de mata natural acaba por fixar as areias soltas, o que mantém sua estrutura.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

2 Comments

  1. Muito Obrigado, maestro Raul!

    • Você merece, Itamar!

      Abraços