Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Urubu de cabeça preta

Você deve estar se perguntando por que escolhi um “bicho” tão feio para falar nesta crônica. Eu explico: há mais ou menos 30 anos, fiz um curso sobre mitologia egípcia e em uma das aulas, referindo-se à deusa Ísis, o professor Basílio Pawlowicz comentou que ela era representada com as asas de um urubu e que o animal era cultuado por ser capaz de reciclar qualquer matéria orgânica descartada e em decomposição.

No primeiro momento achei isso um tanto bizarro. Como é que os egípcios poderiam adorar um pássaro que se alimentava de carniça? O professor então explicou que, sem o urubu, a humanidade não sobreviveria no meio do lixo descartado pelo próprio homem.

Onde moro, é comum observar bandos dessas aves plainando a grande altura, com a clara intenção de descobrir qualquer coisa que lhes sirva de alimento. Aprendi, olhando para eles, que às vezes é necessário compreender a Natureza de um modo mais profundo e benevolente.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

4 Comments

  1. Humm interessante, por isso temos que aprender a cada instante que antes de criticar qualquer coisa, tudo tem um papel fundamental na na nossa vida, no nosso mundo, por isso Deus é perfeito em tudo que ele criou. Bacana!

    • É verdade, Adriana, com o tempo tenho aprendido que não há nada descartável neste mundo, tudo tem uma função, uma utilidade. Isto é ecologia.

      Abraços

  2. Sim, aprendemos que tudo na natureza tem um sentido, um significado. O mundo não sobreviveria se tivéssemos todo o lixo ou material em decomposição a ceu aberto; sem “alguem”v para cuidar da faxina necessária. O urubu tem este papel.
    Há uma sabedoria maior em tudo que nos cerca.

    • É verdade, Telma. Essa sabedoria nos protege das tolices que cometemos.