Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Vaga-lumes

Conhecidos também como pirilampos – do grego pyris – fogo e lampis – luz -, esses insetos emitem um clarão esverdeado e intermitente a partir dos órgãos luminescentes localizados em sua região abdominal. Os especialistas acreditam – não há comprovação científica disso – que, além de ser um artifício contra predadores, serve para clarear o campo de visão e para atrair as presas, a luz emitida pelos machos visa atrair as fêmeas. Eles lançam mão desse recurso para sinalizar sua aproximação, enquanto a fêmea, imóvel, também ascende sua luz, indicando onde está.

Comuns perto de riachos e locais brejosos nas matas, cerrados e campos do sul, os vaga-lumes são muito úteis porque se alimentam de lesmas e caramujos, ajudando a controlar essas pragas.

Nestes meses mais frios, eles desaparecem do jardim, voltando no final de setembro, quando eles ficam cintilando nas copas das árvores, como se fossem pisca-piscas de Natal. É uma pena que nas cidades a iluminação artificial comprometa sua biolumenescência e colocando a espécie em perigo de extinção.

Responder Jose Carlos Bernardes Araujo de Souza Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

4 Comments

  1. Muito interessante suas publicações. Uma verdadeira aula de botanica ebiologia.

    • Obrigado José Carlos, seu comentário é muito bem-vindo!

      Abraços

  2. De que modo podemos auxiliar os vagalumes a se reproduzirem e se multiplicarem principalmente nas cidades?

    • Dulce,

      Os vaga-lumes se alimentam, principalmente, de caramujos e lesmas. A pesar de encontrados algumas vezes nas cidades, o habitat deles são as florestas, cerrados e matas úmidas, despontando também em brejos e áreas alagadas. Portanto o surgimento nos espaços urbanos é sempre menor.

      Abraços