Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Acanthus spinosus

acanto espinhoso, erva-gigante, melafólio

Conhecida desde a Grécia Antiga, se espalhou pelos campos durante o Império Romano, quando era vista crescendo à beira dos caminhos pedregosos. Alexander Neckam (1157 – 1217) abade de Cirencester a menciona na sua principal obra, De Rerum Naturis. Ele, que era irmão adotivo de Ricardo Coração de Leão, comenta que a planta sobreviveu nos jardins do mosteiro após a retirada romana.

Bastante parecida com o Acanthus mollis se diferencia pela rigidez das folhas espinhentas e pela maior profusão das espigas floríferas, fonte de néctar atrativa das abelhas. Prospera em qualquer solo, mesmo naqueles pobres e arenosos, desde que bem drenados, onde solta suas raízes fortes que se disseminam tornando-a por vezes invasora.

Não é muito divulgada no nosso país, entretanto recomendo seu uso especialmente em cercas que cumpram uma função levemente defensiva, graças a seus espinhos e sua deslumbrante florada

  • Sinônimo estrangeiros: spiny bear’s breech, bear’s breeches, (em inglês); acanto spinoso, (em italiano); acanto espinoso, (em espanhol); akanthos, (em grego).
  • Família: Acanthaceae.
  • Características: herbácea perene.
  • Porte: 80 cm a 1,20 metro de altura.
  • Fenologia: primavera, verão e outono.
  • Cor da flor: branca com brácteas marrons.
  • Cor da folhagem: verde escuro brilhante com tonalidades esbranquiçadas na extremidade das folhas.
  • Origem: Grécia, Itália e Turquia Ocidental.
  • Clima: Temperado / subtropical.
  • Luminosidade: sol pleno / meia sombra nas regiões com temperaturas altas.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.