Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Alcea rósea

Alcea rósea

malva-rosa, altéia, malva-da-india

– Como consegue ano após ano surgir com o mesmo aspecto, com a coloração exata de suas flores, em fim do mesmo jeito que seus antepassados viviam na Turquia, há milhares de anos?

– Acredito que nós, as malvas-rosa, adquirimos o conhecimento através da experiência, do permanente exercício rotineiro de, pacientemente, repetir aquilo que algum dia nos fez sentir bem.

– Quer dizer que nesse ciclo de vida, que se prolonga no máximo por dois anos, vocês experimentam o fenômeno de existir, deixando as sementes que promoverão novas plantinhas sempre iguais.

– Sim, embora não consiga elaborar uma teoria sobre a perpetuação da minha espécie, acho que você entendeu nossa forma de ser.

– Estou especulando de forma mais ou menos científica sobre esse período, no qual você surge tão vistosa, tão atraente. 

– Você raciocina demais. Nós podemos viver bem sem teorias e sem grandes reflexões. Contudo, as plantas sazonais, como eu, precisam praticar permanentemente, não para alimentar o intelecto, e sim, para preservar o órgão mais importante que temos: a alma. 

– Vocês tem alma?

– Não duvide, ela está presente em qualquer ser vivo que possua energia, ação e sentimentos.

  • Sinônimos estrangeiros: cañamera, malva-loca (em espanhol); shu- k’uei (em chinês); gülhatmi (em turco); rose mallow (em inglês).
  • Família: malvaceae.
  • Características: herbácea bianual.
  • Porte: 0,70 a 1,50m de altura.
  • Fenologia: inverno e primavera.
  • Cor da flor: grená, vermelho, rosa, branca e amarelo.
  • Cor da folhagem: verde claro.
  • Origem: Turquia até China.
  • Clima: temperado / subtropical.
  • Luminosidade: pleno sol.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.