Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Allamanda blanchetti

Alamanda-roxa, alamanda-rosa,  orelia, viúva-alegre, alamanda-de-jacobina, sete-patacas-roxa, rosa-do-campo

Uma trepadeira indicada para revestir arcos, alambrados, treliças e caramanchões, mas deve-se levar em conta sua toxicidade, já que sua seiva leitosa irrita a pele e causar dermatite, assim como a ingestão pode ocasionar alguns sintomas como enjoos e desconforto intestinal. Apesar disso sua aparência é muito envolvente, não apenas pela florada, mas também pelas folhas coriáceas e lustrosas que, iluminadas pelos raios solares, brilham de maneira singular.

Seu nome blanchetti é uma homenagem ao botânico amador suíço Jacques Samuel Blanchet (1807 – 1875), que morou na Bahia entre 1828 e 1856. No paisagismo deve ser considerada em solos bem enxutos, já que não suporta o excesso de umidade.

  • Sinônimos estrangeiros: Purple allamanda, cherry alamanda, violet allamanda, purple trompet flore, (em inglês); alamanda morada, (em espanhol); allamanda pourpre, (em francês).
  • Família: Apocynaceae.
  • Características: Trepadeira semi-lenhosa e lactescente.
  • Porte: Ramos com cerca de 3,00 m de comprimento.
  • Fenologia: Ano todo, predominantemente no verão e outono.
  • Cor da flor: Roxa.
  • Cor da folhagem: Verde-brilhante.
  • Origem: Litoral norte brasileiro, especialmente no Ceará, Alagoas, Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão, Sergipe e Paraíba.
  • Clima: Tropical/subtropical, suporta a estiagem.
  • Luminosidade: Sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

Secured By miniOrange