Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Aspidistra elatior

aspidistra

Aspidistra elatior

Incrivelmente resistente e indiferente a pragas e insetos é uma das melhores opções entre as plantas de interior, podendo viver décadas sem necessidade de transplantes.

Em Buenos Aires, minha cidade natal, existiam pitorescas cervejarias alemãs conhecidas como “Munich”. Muitas delas ficavam quase escondidas em porões escuros, onde o calor e a fumaça do cigarro incentivava a pedir sempre mais um chopinho. Eram pontos de reunião onde se misturava uma boemia sedenta com os apreciadores dos típicos kassler e sauerbraten, com chucrute e kartoffelsalat.

Aspidistra elatior “Variegata”

Uma delas se chamava “Berolina” e o dono, um alemão imenso e carrancudo, tirava o chopp de uma maneira tão compenetrada, que a gente acreditava estar perante um cientista e não na frente de um mestre cervejeiro. Certa vez perguntei, morto de calor, numa daquelas noites portenhas de janeiro, porque não instalava um aparelho de ar condicionado ou, pelo menos, alguns ventiladores. Você está louco – respondeu – se fizesse isso o consumo de cerveja cairia muito, as pessoas bebem por que têm sede, e elas têm sede porque sentem calor!

Aspidistra elatior “Maculata”

Ele tinha razão e depois de tantos anos lembro-me dos pisos de ladrilho hidráulico, formando um desenho xadrez, em branco e preto. Das paredes revestidas em “boiserie” escurecidas pelos vapores do tempo e dos mármores brancos do balcão, apoiados sobre colunatas de granito preto. Contudo, a recordação mais vívida é a de um vaso de louça de tons rosados, que suportava uma planta que, indiferente ao local pouco propicio para crescer, suportava estoicamente a falta de luz natural, a nevoa espessa gerada pela fumaça de tantos e tantos cigarros e o calor em uma atmosfera carregada de tantas noites insones.

Hoje, quando preciso de uma planta para alegrar um espaço com pouquíssima luz, não vacilo em recorrer a minha velha amiga chinesa: a Aspidistra elatior que, como eu, já se abrasileiro há muito tempo.

  • Sinônimos estrangeiros: cast-iron plant, bar room plant (em inglês); aspidistra, pilistra, hoja de salón, hoja de lata, hojalata (em espanhol); haran, baran (em japonês)
  • Família: Ruscaceae.
  • Características: herbácea perene, acaule e rizomatosa.
  • Porte: 40 a 80 cm de altura.
  • Fenologia: eventual.
  • Cor da flor: roxa (sem valor ornamental) surge ao nível do solo.
  • Cor da folhagem: verde escura, lanceolada, brilhante e coriácea. A A.”Variegata” possui listras de cor creme e a A.”Maculata” é salpicada por pintas branco-creme.
  • Origem: China, Japão e Taiwan.
  • Clima: Subtropical/temperado.
  • Luminosidade: sombra ou meia-sombra (tolera a escuridão quase absoluta e secas prolongadas, entretanto aprecia adubações nitrogenadas acompanhadas de Ferro e Magnésio).

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

One Comment

  1. Hello Raul,
    I’d like to ask you an advice, if this is possible.
    I have a Aspidistra elatior ‘Variegata’ three years old. It is is 10 cm high. I ask you: why does not grow? It is is always the same, consisting of three leaves. I also have a Aspidistra Maculata, but it grows well…I do not understand. Can you help me?
    Thank you very much,
    alaisa