Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Buxus sempervirens

buxinho, buxo

Foto de Frank Vincentz, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Sua silhueta é característica e muito densa, oferecendo uma alternativa ideal para ocultar vistas indesejáveis. É uma planta clássica nos jardins renascentistas dos séculos XVII e XIII, quando era topiariada dando formas esculturais ou configurando cercas muito formais. Infelizmente, na atualidade, ainda é cultivada como topiaria, algo inusitado nos nossos jardins tropicais, onde se procura sustentabilidade e pouca manutenção, inclusive essas podas excessivas produzem um crescimento muito denso na parte externa do arbusto, fato que impede que a luz solar chegue ao interior do arbusto, causando doenças fúngicas. Sua florada é impedida de abrir por causa desses cortes na planta.

Foto de Krzysztof Ziarnek, Kenraiz, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Depois de tanto tempo sofrendo com essas podas que a impedem de crescer e de florir, a planta fica abalada e enferma. Uma doença causada pelo fungo Cylindrocladium buxicola, foi diagnosticada pela primeira vez em Inglaterra em 1995, mais tarde se espalhou para a Alemanha e Holanda e hoje está presente no mundo todo. O fungo surge especialmente no finais do verão ou outono. As folhas revelam manchas, de cor marrom com aureola mais escura. Quando a umidade é mais alta surgem, no dorso das folhas, massas de esporos de cor esbranquiçada. Em ataques agressivos as folhas caem gradualmente e a planta morre. O sintoma é muito parecido pela ação deixada pelo cão macho urinando na planta.

Foto de Sten, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Em resumo, parece que o buxinho inventou uma forma de se suicidar, evitando o padecimento secular ocasionado pelas topiarias!!!

É reproduzido por estacas da ponta dos ramos, cortadas no final do inverno.

  • Sinônimos estrangeiroscommon box, european box, boxwood, common box, boxwood, (em inglês); boj común, (em espanhol); buis commun, buis toujours vert, (em francês); gewöhnliche buchsbaum, buchsbaum, buchs, (em alemão); bosso, bosso comune, bossolo, (em italiano).
  • Família: Buxaceae.
  • Características: arbusto lenhoso perene.
  • Porte: 2,00 a 5,00 metros de altura. Há variedades com portes pequenos.
  • Fenologia: fevereiro a maio. As podas inibem por completo o surgimento das flores.
  • Cor da flor: amarelada, com 2mm de diâmetro.
  • Cor da folhagem: verde-escuro.
  • Origem: Europa Central e Meridional, norte do Irã e norte da África.
  • Clima: temperado/subtropical. Tolera geadas.
  • Luminosidade: sol pleno, meia-sombra

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comments

  1. While the article on Buxus sempervirens provides valuable insights, I respectfully disagree with some aspects. It seems to overlook the plant’s diverse applications in landscaping. Additionally, there’s a need for a more nuanced discussion of its ecological impact. It’s crucial to address both positive and negative aspects to present a comprehensive view. Perhaps considering recent research findings would enhance the overall accuracy of the information presented. I am looking forward to a more balanced perspective in future discussions.

    • Dear Andrew,

      I respect your opinion and thank you for your comment.

      Hugs

  2. Boa Tarde!
    Quando o buxinho já esta praticamente todo amarelado e comprometido pelo fungo, há algum tratamento?
    Penso que se fosse um Buxinho crescendo livre, poderia tentar uma poda drástica. Mas estes de bolinhas acredito que não tem outro jeito, só removendo e substituindo?
    Este sintoma também poderia ser algum sintoma de problemas na raiz?
    Obrigada, Francine

    • Bom dia Fran,

      Um dos fungos mais frequentes que atacam o Buxus é o Cylindrocladium buxicola. Nesse caso ou em outras doenças fúngicas, proceda da seguinte maneira:

      – Remova todas as partes afetadas, mesmo as folhas caídas no chão;
      – Ao regar não molhe as folhas;
      – Pulverize três vezes, semanalmente, com sulfato de cobre.

      Abraços

      • Muito obrigada!!!
        Posso usar o Forth Cobre no lugar do sulfato de cobre?

        • Sim Francine, o Forth Cobre é ótimo!

          Abraços

          • Sempre muito agradecida!

            • Você merece, Francine!

              Abraços

  3. Excelente explicação!

    • Muito obrigado pelo comentário, Fabiola!

      Abraços

Secured By miniOrange