Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Camellia japônica

camélia, cameleira, roseira-do-japão

Ela inspirou o romance do escritor francês Alexandre Dumas Filho, publicado pela primeira vez em 1848. Seu nome foi dedicado à memória de Georg Joseph Kamel [em Latin Camellus] (1661-1706), um jesuíta, botânico e zoologista, que viajou para a Ásia no século XVII e trouxe para a Europa a camélia das Filipinas.

 

Existem mais de três mil variedades desta planta que pertence à família do chá e que, paisagisticamente, não deve faltar nos jardins orientais e clássicos, onde é aproveitada em grupos ou isoladamente. É aconselhável cultivá-la orientada para o sol da tarde, porém de forma filtrado. Isto permitirá o desenvolvimento das flores sem o orvalho matutino que, combinado com os primeiros raios de sol, prejudicariam as pétalas. Desse modo as flores, que podem medir entre 4 e 12 centímetros, durarão de três a quatro semanas. Todas as camélias crescem melhor, mas lentamente, em solos bem drenados, ricos em matéria orgânica e ligeiramente ácidos (pH 5,5 – 6,5), podendo viver séculos.

 

A flor servia como uma espécie de código de identificação entre os abolicionistas, no Brasil do século XIX, sendo o português José de Seixas Magalhães, fabricante de malas e sacos de viagem, seu cultivador. Elas eram muito apreciadas pela princesa Isabel. No dia 13 de maio de 1888, quando ela assinava a chamada Lei Áurea, foram-lhe oferecidos dois buquês de camélias, um artificial, pela diretoria da Confederação, em nome do movimento vitorioso, e outro, de flores naturais, vindas do quilombo do Leblon, propriedade de José de Seixas Magalhães.

De suas sementes extrai-se um óleo, o tsubaki, utilizado no Japão, como amaciante e também empregado em massagens.

 

  • Sinônimos estrangeiros: camellia, japanese camellia, camelian rose, (em inglês); tsubaki, (em japonês); rosa del giappone, (em italiano); camélia du Japon, rose du japon, japanese camellia, (em francês); camélia, camelio común, (em espanhol); japanische kamelie, (em alemão), shan cha, (em chinês); baegnamu, (em coreano).
  •  Família: Theaceae.
  • Características: Arvoreta.
  • Porte: 3 metros, excepcionalmente pode alcançar 12 metros no seu lugar de origem.
  • Fenologia: Fevereiro a maio.
  • Cor da flor: Branco ao roxo, passando por vários tons de rosa, simples ou dobradas.
  • Cor da folhagem: Verde escuro e brilhante.
  • Origem: Japão.
  • Clima: Temperado/subtropical.
  • Luminosidade: Sol da tarde filtrado.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

13 Comments

  1. Adoro estás tuas histórias!!!

    • Obrigado Vivian, amei teu comentário!

  2. Lindo texto mestre Raul .aqui na baixada em Cubatão tem camelias mas ele colocam botões mas não abre com intensidade um oh dois botões no máximo?

    • Oi Luiz,

      Isto de deve a deficiência potássica, que pode ser corrigida com cloreto de potássio ou sulfato de potássio, mas também há uma possibilidade de problema genético, isto é a forma como foi feita a muda.

      Abraços

  3. Boa noite
    Que linda a matéria, amei
    Por favor , qual mês e melhor para fazer poda ?
    E o adubo o que i Sr. Recomenda

    • bom dia Silvânia,

      Que bom que gostou do texto!!!

      O melhor momento para a poda da camélia é depois da florada, em junho ou julho, sendo esta de formação e para a entrada de mais luz.
      A adubação pode ser feita usando 400 gramas de farinha de ossos, 200 gramas de torta de mamona e 50 gramas do fertilizante Forth Flores, este último deve ser repetido a partir de dezembro a cada 15 dias, usando essa dosagem.

      Abraços

  4. Veja a foto

  5. Professor, as minhas camélias foram plantadas para o sol da manhã. As flores vão manchar?

    • Myrian,

      O problema não está no sol matutino, mas na associação dele com o orvalho, este funciona como um lente de aumento que, com o sol, estimula o murchamento das pétalas da camélia.

      Abraços

  6. Olá Raul, bom dia!
    Tenho Camelias 2,0m recentemente plantadas no interior de SP, Tatuí, em área semi-sombreada, e as folhas passaram a ficarem enferrujadas, do centro p/ fora. O que poderia ser? Grato

    • Boa tarde Douglas,

      O que pode ser é algum fungo que está atacando sua camélia. O Phomopsis obscurans causa a formação de manchas necróticas de cor castanho-claro no centro das folhas mais velhas.

      Tente pulverizações com Cuprosol, da Syngenta.

      Abraços

  7. Tenho uma cliente que queixo-se que sua camélia da botão mais cai antes de abrir e outra nunca floresceu, porque será ?

    • Angelita,

      São dois os motivos para essa ocorrencia:

      – Deficiência genética;
      – Falta de potássio.

      Neste último caso as pulverizações com Fosway no momento em que surgem os botões (duas com 30 dias de espaçamento), estimulam o desenvolvimento dos botões, assim como a aplicação no solo de 200 g de sulfato de potássio e o equivalente a 10 litros de cinzas de lenha livres de sal e/ou gordura.

      Abraços