Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Cariniana estrellensis

jequitibá-branco,  jequitibá-rei, cachimbeira, jequitibá amarelo, pau-de-cachimbo, cachimbo-de-macaco, pau-estopa, coatinga

Foto de Mauroguanandi, Mauro halpern, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Uma árvore com o tronco reto e cilíndrico, recomendada para a arborização de praças públicas e para o reflorestamento de mata ciliar. Seus frutos são pixídios elipsoides e lenhosos, contendo sementes aladas e são consumidos pelos bugios, preguiças, tamanduás e tucanos e as flores atraem borboletas, abelhas. É símbolo estadual em São Paulo. Desempenha um papel significativo no ecossistema onde está inserido. Além disso, suas raízes ajudam a estabilizar o solo e contribuem para o ciclo hidrológico.

Foto de João Medeiros, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

Os povos indígenas consideravam o jequitibá-rosa uma árvore sagrada, associada a divindades ou espíritos protetores da natureza. Diz-se que realizavam rituais e cerimônias ao redor dessas árvores.

O nome Cariniana foi dado em homenagem ao rei Carlos Alberto de Sabóia-Carignano, (1798-1849), que patrocinou a viagem de Giovanni Casaretto (1812 – 1879) ao Brasil, em 1839 e 1840; estrelensis é uma provável referência à Serra da Estrela, no Estado do Rio de Janeiro, localidade típica dessa espécie.

Foto de João Medeiros, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

Após que as sementes forem colhidas, devem ser semeadas em canteiros sombreados e com substrato e cobrindo-as com uma leve camada desse mesmo substrato. Devem ser transplantadas para recipientes individuais contendo solo adubado com esterco curtido de curral, quando atingirem de 6 a 8 centímetros. A taxa de germinação é de 95% nas primeiras semanas. O desenvolvimento das plantas no campo é considerado moderado.

  • Sinônimos estrangeiros: star jequitibá, (em inglês); jequitibá blanco, (em espanhol); jequitibá blanc, arbre étoile, (em francês); weißer jequitibá, (em alemão); ka’i kaygua, (em Paraguai); papelillo caspi, (no Peru); abarco, (na Colômbia); yesquero, (na Bolívia).
  • Família: Lecythidaceae.
  • Características: árvore semidecídua.
  • Porte: de 35 a 45 metros de altura, com tronco de 90 a 120 centímetros de diâmetro.
  • Fenologia: primavera, verão.
  • Cor da flor: branca, perfumada, reunidas em racemos.
  • Cor do fruto: marrom.
  • Cor da folhagem: verde vibrante.
  • Origem: Brasil: Acre, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Bahia, Santa Catarina. Também em Bolívia e Paraguai.
  • Clima: Tropical
  • Luminosidade: pleno sol, meia sombra.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secured By miniOrange