Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Clusia fluminensis

Clusia, abaneiro, abano, manga-da-praia, mangue-bravo, mangue-da-praia

Uma arvoreta ideal para ser aproveitada em renques e vasos, com comportamento lenhoso e com grande ramificação, especialmente em regiões litorâneas até a beira-mar de Santa Catarina. Seu desenvolvimento é rápido em solos arenosos e ricos em matéria orgânica, por possuírem tanino nas folhas é indiferente  às pragas e doenças. Ela é uma espécie dioica, isto é, possui plantas masculinas e femininas.

A clúsia é uma ótima opção no litoral, onde floresce com pétalas brancas, dando depois frutos que atraem pássaros como o apuim-de- cauda-amarela, o sanhaçu-do-coqueiro, o sanhaçu-de-encontro-amarelo e o saí-azul. É importante frisar que se dá muito bem com os ventos salinos, crescendo espontaneamente nas dunas das praias, onde forma grupos compactos e estendidos. É reproduzida facilmente pelas estacas lenhosas. Burle Marx a usou em seus projetos a partir da década de 1950.·          

  • Sinônimos estrangeiros: Autograph tree, balsam-apple, (em inglês); copey rosado, clusia, copey, mamey silvestre, (em espanhol); balsamapfel, rosafarbener, balsamapfel, (em alemão).
  • Familia: Clusiaceae.
  • Características: arvoreta perene.
  • Porte: 4 a 6 metros de altura.
  • Fenologia: Primavera e verão.
  • Cor da flor: Branca.
  • Cor da folhagem: Verde e coriácea.
  • Origem: Brasil, endêmica na região litorânea dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Clima: Tropical/subtropical.
  • Luminosidade: sol pleno, más aceita a meia-sombra.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.