Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Cyclanthus bipartitus

mapuá, ciclanto

No Brasil nasce espontaneamente na Região Amazônica, ela é perene e entouceirada, com grandes folhas eretas, com até 1 metro de comprimento, que se abrem quando maduras. Pode ser aproveitada em locais de meia sombra, evitando o sol direto das 10 às 17 horas da tarde, como touceira isolada ou em grupos formando maciços, assim como também em grandes vasos. Desenvolve bem em solos argilosos e bem nutridos, tanto úmidos como levemente encharcados, às margens dos córregos. Adubações com esterco curtido, emulsão de peixe, farinha de sangue e torta de algodão, estimulam seu crescimento.

No paisagismo é pouco aproveitada, apesar do impacto cenográfico que produz quando combinada com espécies de folhas pequenas e com aquelas mais coloridas, também é bem associada com palmeiras e árvores que lhe propiciem sombra.

  • Sinônimos estrangeiros: lengua de buey, hoja de lapa, oreja de burro, tornillo, (em espanhol).
  • Família: Cyclanthaceae.
  • Características: Herbácea entouceirada e vigorosa.
  • Porte: 1,80 a 2,40m.
  • Fenologia: Outubro a novembro.
  • Cor da flor: Creme, ocasionais e sem importância ornamental mas perfumada.
  • Cor da folhagem: verde claro brilhante.
  • Origem: Sul do México, América Central, Trinidad, norte da América do Sul: Venezuela, Guianas, Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e noroeste do Brasil.
  • Clima: Tropical.
  • Luminosidade: Meia sombra/ sombra

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.