Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Elizabetha durissima

amesclinha

No mínimo uma árvore rara nos jardins, como também rara sua silhueta elegante e suas flores perfumadas. Pode ser observada no Jardim Botânico do Rio de Janeiro onde foi plantada em 1937, depois de ter sido colhida por Adolpho Ducke (1876 – 1959), um botânico, entomólogo e etnólogo brasileiro de origem austro-húngara e levada a Manaus onde foi aclimatada. O tronco roliço alcança um DAP de no máximo 30 centímetros e possui uma madeira muito dura que dá o nome à espécie. Seu crescimento é lento.

Pode ser aproveitada no paisagismo em solos úmidos e argilosos, inclusive naqueles que sofrem alagamentos sazonais, como nas matas de igapós de onde é originária.

  • Sinônimos estrangeiros: elizabeth dure (em inglês).
  • Família: Fabaceae.
  • Características: árvore de pequeno porte com copa densa e arredondada.
  • Porte: 6 a 8 metros, copa oval e pouco densa.
  • Fenologia: Outono.
  • Cor da flor: branca com filamentos vermelhos.
  • Cor da folhagem: verde clara.
  • Origem: Guiana e Amazônia brasileira.
  • Clima: Tropical.
  • Luminosidade: sol pleno ou meia sombra.
Raul Cânovas nasceu em 1945. Argentino, paisagista, escritor, professor e palestrante. Com 50 anos de experiência no mercado de paisagismo, Cânovas é um profissional experiente e competente na arte de impactar, tocar, cativar e despertar sentimentos nos mais diversos públicos.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.