Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Erythrina speciosa “Alba”

eritrina-candelabro; corticeira; mulungu-do- litoral

 

– Quando o resto é silêncio consigo ouvi-la.
– Estava dizendo algumas coisas para mim mesma.
– As vezes faço isso.
– Sabe? Falar não é apenas pronunciar palavras
– Pois é, gostaria poder soltar essas palavras, pelos poros, do mesmo modo que você, mulungu, conversa
– Também tenho sonhos. Queria reinventarme como arvore invisível, uma árvore com capacidade de dançar junto a um corpo de baile, formado por uma centena de beija-flores.
– Dançar?
– Sim, dançar. Fazer piruetas e arabesques ouvindo um “ pás de valse”.
– Não está satisfeita depois de criar essa cor branca, para sua florada? Ao final das contas erythros, em grego, significa vermelho, e você mudou isso.
– Os pintores contentam-se com coloridos! Sou uma árvore, cujas entranhas fixadas neste solo fizeram de mim um ser imóvel. Contudo, nunca conseguiram aquietar meus sonhos.
– Mesmo os mais loucos, como esse de dançar?
– As melhores alavancas são construídas com devaneios e , quando apoiadas na utopia, lançam sonhos fecundos que incessantemente frutificam.

  • Sinônimos estrangeiros: candelabrum tree (em inglês); arbol coral (em espanhol); arbre corail (em francês).
  • Família: Leguminosae – Papilionoideae.
  • Características: árvore.
  • Porte: 3 a 8 m.
  • Fenologia: final do inverno.
  • Cor da flor: branca.
  • Cor da folhagem: verde escuro.
  • Caule: com casca rugosa.
  • Origem: Brasil: região sudeste até Santa Catarina, na Mata Atlântica, especialmente litorânea.
  • Clima: tropical / subtropical.
  • Luminosidade: sol pleno.
  • Solo: úmido ou, até, brejoso.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

2 Comments

  1. Gostaria de mudas de eritrina branca,vc tem?