Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Manilkara zapota

Sapotizeiro

Esta árvore frutífera deu origem ao chiclete, que era extraído pela população indígena desde as épocas pré-colombianas. A palavra chicle é proveniente da língua Náuatle, falada pelos Astecas e hoje restrita a pouco menos de um milhão e meio de habitantes no México, sendo derivada do tzictli, termo utilizado para designar o látex espesso e de rápida coagulação, destilado pelo tronco do sapotizeiro. A lenda diz que as mulheres astecas gostavam de mascar tzictli. Em algumas regiões tropicais úmidas de México e de Guatemala ainda são exploradas as plantas silvestres, porém com as descobertas de produtos sintéticos a prática tem caído bastante. Os frutos encantam pela polpa carnuda e doce e é consumida in natura, mas por ser tenra e saborosa, também é aproveitada na forma de sorvetes, geleias, sucos e doces variados.

O sapoti desenvolve bem no Nordeste do Brasil, principalmente no Estado do Ceará, dando uma sombra muito densa, portanto sendo fantástica para ser projetada em regiões de clima quente, onde se procura um sombreamento intenso. Eu mesmo experimentei o prazer de ficar sob a sombra desta árvore em João Pessoa – Paraíba, no Viveiro Municipal, lá fiquei surpreso com a diferença de temperatura, amparado pela sua copa. Se adapta bem nas áreas costeiras, tolerando solos encharcados em determinadas épocas do ano.

  • Sinônimos estrangeiros: Sapodilla dilly, naseberry, sapodilla plum, sapodilla, (em inglês); chico zapote, chicle, zapotillo, (em espanhol);  sapotier; sapotillier, (em francês); sapota, (em italiano); chikoo, (em Índia); mispel, (nas Ilhas Virgens); lomut, (em Camboja); brei-apfelbaum, sapotillbaum, (em alemão).
  • Família: Sapotaceae.
  • Características: Árvore perene de tronco ramificado.
  • Porte: 8 a 12 metros de altura e 5 metros de diâmetro.
  • Fenologia: Floração na primavera. Frutificação de dezembro a fevereiro.
  • Cor da flor: Branca amarelada.
  • Cor do fruto: Marrom.
  • Cor da folhagem: Verde médio
  • Origem: México, na Península de Iucatã e América Central.
  • Clima: Tropical/subtropical.
  • Luminosidade: Sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

6 Comments

  1. Bom dia Raul! Não entendi o que ocorreu com os dois sapotizeiros que plantei há alguns anos. Eles não desenvolveram o crescimento está muito lento. O que devo fazer?

    • Bom dia Adelaide,

      Isto se deve a alguma deficiência nutricional. Recomendo uma adubação com torta de algodão, farinha de ossos e cinzas de lenha, livres de sal e/ou gordura, podem ser de lareira, padaria ou pizzaria.

      As dosagens destes adubos devem corresponder ao tamanho das árvores.

      Aplique eles na projeção da copa e faça furos no solo, da grossura de uma caneta BIC, a cada 20 centímetros, de forma obliqua e em profundidades entre 10 e 20 centímetros. Em seguida barra suavemente para que esses elementos penetrem melhor e regue com moderação.

      Abraços

      • Obrigada pela atenção!

        • Você merece, Adeliane!

          Abraços

  2. Por favor preciso de uma orientação sua sobre adubação de orguideas.Uso extrato pirolhenoso com sua excelente orientação,mas não sei como utilizar o cálcio.Muito obrigada!

    • Oi Luiza,

      Você pode usar o Forth Equilíbrio, ele tem 22,55 de cálcio. A dosagem para orquídeas é de 5 ml para cada litro de água e elas devem ser pulverizadas bem cedinho, de manhã ou no final das tarde, três vezes por ano.

      Abraços

Secured By miniOrange