Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Por que as Palmeiras não tombam?

Bem, às vezes até tombam, mas é um fato raro ver uma palmeira ou coqueiro derrubado pelo vento.

Segundo informe elaborado pelo Centro de Investigaciones Científicas y Tecnológicas de Extremadura (Cicytex), da Espanha, as tamareiras (Phoenix dactylifera) são capazes de suportar ventos de 135 km por hora, velocidade média de um furacão de categoria 1 conforme escala Saffir-Simpson. Para efeitos de comparação, uma tempestade intensa arranca árvores quando as velocidades oscilam entre 78 e 90 km por hora. Isto se deve a elasticidade que a Família Arecaceae possui, além da coroa foliar que, mesmo densa, é composta por folhas pinadas (com formato de penas) permitindo a passagem dos ventos sem oferecer resistência, como é o caso da maioria das árvores que, com as copas encharcadas pelas chuvas, acabam por sentir um sobrepeso maior. Essa espécie, do gênero Phoenix, alcança 80 metros de altura e pode viver no ambiente urbano mais de 200 anos.

palmeira-princesa (Dictyosperma album)

palmeira-princesa (Dictyosperma album)

Uma outra, a palmeira-princesa (Dictyosperma album), é ainda mais destemida, aturando os ciclones tropicais que varrem o Caribe e as Ilhas Maurício, onde a temperatura atinge 50°C no verão, com uma velocidade que chega aos 250 km por hora. Esta palmeira se adaptou de tal maneira que deixa cair suas folhas quando experimenta ventos muito fortes e no instante em que a tempestade se intensifica, encontra um tronco solitário que balança sem ser derrubado nem ferido. Passado esse furacão ela solta novas folhas, que a coroam alegremente.

Coisas da natureza…

Raul Cânovas nasceu em 1945. Argentino, paisagista, escritor, professor e palestrante. Com 50 anos de experiência no mercado de paisagismo, Cânovas é um profissional experiente e competente na arte de impactar, tocar, cativar e despertar sentimentos nos mais diversos públicos.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

2 Comments

  1. Prezado Raul, acho que houve um erro de digitação na a altura da Phoenix dactylifera.
    Um grande abraço

    • Boa noite Marcel,

      Em um pátio gótico, em Barcelona, na Casa do Arquidiácono, hoje o Arquivo Histórico Municipal há um exemplar com 79 metros de altura. Segundo informam os espanhóis, de qualquer forma também acho essa medida um exagero. Não acredito que passem dos 35 metros de altura.

      Abraços