Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

A canela-da-índia na Medicina Tradicional Chinesa

O nome popular “canela”, na botânica, pode ser referência para inúmeras espécies, grande parte da família Lauraceae, e muitas do gênero Ocotea. No entanto, as que são famosas em todo mundo, pertencem ao gênero Cinnamomum, sendo a canela-da-índia (C. zeylanicum), a canela-da-china (C. cassia) e a canforeira (C. camphora), utilizadas desde a antiguidade.

Neste texto, tratamos da canela-da-índia, usada tanto como condimento, quanto como planta medicinal, finalidades justificadas pela qualidade de seus princípios ativos. De origem asiática, ela produz, dentre vários outros, mucilagem, cumarina, taninos e um óleo essencial, rico em cinamaldeído, cânfora, limoneno, mirceno e α-pineno.

Na fitoterapia, a canela-da-índia é de amplo uso, com destaque para aplicações comprovadas, como por exemplo, anti-inflamatório, antimicrobiano e antioxidante. É considerada como uma substância análoga à insulina e indicada nas afecções gastrointestinais.

Na Medicina Tradicional Chinesa, o seu sabor é doce e picante, e sua natureza é quente. Seu chá, feito das lascas, dissipa frio do abdômen e melhora os sintomas das cólicas menstruais. Além disso, ela aquece o corpo e favorece o Qi (Energia).

Precaução: não consumir durante a gestação.

Texto: Acupunturista Fabia Cilene Dellapiazza e Marcos Roberto Furlan
Foto: Wikipedia

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

2 Comments

  1. Boa noite gostaria de saber as interações medicamentosas da canela por fv?

    • Maria Sandra,

      O texto faz menção a este particular. Mas também é adstringente, afrodisíaca, antiescorbútica, antiespasmódica, estimulante, anti-reumática, anti-séptica, sedativa,cardiotônica, carminativa, digestiva, estimulante, hipertensora, tônica, vasodilatadora.

      Age em espasmos, calafrios, choques, diarreia, dismenorreia, doenças atônicas do estômago, reumatismo, hemorragias de partos, dores de cabeça e estomacais, espasmos, pressão baixa, extremidades frias, gazes intestinais, gripe, hipotensão arterial leve, inflamações do rosto, paralisia da língua, queimaduras por frio, respiração ofegante, vômitos nervosos, tosses, ulcerações da gengiva e mucosa da boca e úlceras estomacais por stress.

      Abraços