Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Ruellia makoyana

planta-veludo, planta-do-macaco

Foto de Montrealais, CC BY 3.0, via Wikimedia Commons

Uma planta com folhas aveludadas, muito propicia para ser usada como forração sob a copa das árvores, onde não é alcançada pelo sol direto, mas com boa iluminação solar. Suas flores, em forma de trombeta, atraem beija-flores, bem-te-vis, sanhaços, sabiás, assim como borboletas e abelhas. Também pode ser cultivada  em vasos suspensos nos quais seus ramos pendem, tornando-se interessante como planta de interior. O solo deve ser mantido úmido, rico em matéria orgânica e as temperaturas não devem ser inferiores aos 12 °C.

Foto de © Hans Hillewaert

A Ruellia makoyana é uma planta resistente que é relativamente livre de pragas e doenças. No entanto, pode ser suscetível a cochonilhas e ácaros se as condições ambientais forem secas demais.

É importante ressaltar que ela está ameaçada de extinção em algumas regiões da Mata Atlântica, devido à destruição do habitat e à coleta excessiva.

Foto de Stan Shebs, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

Pode ser facilmente propagada a partir de estacas macias na primavera ou início do verão.

  • Sinônimos estrangeirosmonkey plant, trailing velvet plant, zebra plant, (em inglês); planta de terciopelo, planta del mono, planta jirafa, (em espanhol); plante velours, plante au feuillage velouté, plante du singe, plante girafe, violette velours, (em francês); samtpflanze, samtblatt, affenbaum, zebrapflanze, purpursamtpflanze, (em alemão); pianta di velluto, pianta del macaco, pianta giraffa, violetta di velluto, (em italiano); berupetto puranto, (em japonês); belbet siksamul, (em coreano); tiān’éwù yè, (em chinês); makhmal kā pōdhā, (na Índia); nabāt al-mukhmal, (em árabe).
  • Família: Acanthaceae;
  • Características: forração perene;
  • Porte: 20 a 40 centímetros de altura;
  • Fenologia: final do inverno, primavera, verão;
  • Cor da flor: roxa, rosa-púrpura;
  • Cor da folhagem: verde oliva com nervuras prateadas e a parte inferior mais escura;
  • Origem: Brasil, na Mata Atlântica do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo;
  • Clima: tropical/subtropical, não suporta geadas;
  • Luminosidade: meia-sombra, sombra.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secured By miniOrange