Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Schinus molle

aroeira, aroeira-salsa, anacauíta, aroeira-folha-de-salso, aroeira-mansa, aroeira-fruto-de-sabiá, aroeirinha, cambuy, periquita, aroeira-mole, bálsamo, corneíba, molho, molhe, pimenteira-do-peru

Schinus molle

Classificada também, pelos botânicos, como Lithraea molleoides, seu nome em guarani significa abundante cabeleira, em alusão à copa com ramos pendentes. Seu uso, na medicina indígena desse povo, é aplicado como como calmante para a dor de ouvidos e como cicatrizante, além de ser um ótimo anti-diarreico, um bom remédio para o tratamento de úlceras e aumentar o fluxo menstrual.

O conquistador, historiador e cronista Pedro Cieza de León escreveu, entre os anos de 1540 e 1550, sua Crónica del Perú, depois de ter recorrido esse país. Nela assinala assuntos como: geografia, etnografia, flora e fauna e, no capítulo 113, trata sobre a aroeira e seu aproveitamento pelos incas e quéchuas, que preparavam uma bebida alcoólica fermentada, similar a chicha, desde mil anos antes da Era Cristã. O historiógrafo espanhol também fala sobre os vinagres e melados feitos com os frutos e do xarope que eles produzem misturado com milho para fazer saborosos mingaus. Atualmente esses frutinhos vermelhos são misturados à pimenta do reino e vendidos como pimenta rosa; seu sabor é delicioso e não é picante, podendo ser usados para aromatizar peixes e decorar sorvetes.

Schinus molleA árvore é muito resistente às várias condições climáticas e pode ser melhor aproveitada nos projetos paisagísticos. Tenho visto magníficos exemplares em Mendoza, Argentina, onde as temperaturas no inverno são abaixo de cero grau e no verão alcançam cerca de 40º. Sua adaptabilidade é tanta que torno-se invasiva nas savanas semi-desérticas de África do Sul, invadindo áreas de pastagens.

  • Sinônimos estrangeiros: Aguaribay, molle, moye, aguaraiba, gualeguay, pimentero, molle del Perú, especiero, molle de Castilla, bálsamo jesuita, pirul, lentisco, escobilla, pimientillo, pimiento del diablo, árbol de la pimienta, mulli, (em espanhol); urundey-pita, urunei-yba,ybá-guassu, (no Paraguai); pepper tree, false pepper, peruvian pepper, peruvian master, californian pepper treepeppercorn tree, brazillian peppertree, (em inglês); Lentisque, poivrier d´Amerique, poivrier du Perou, (em Francês); pimenteira bastarda, (Portugal); Pfefferstrauch, (em alemão).
  • Família: Anacardiaceae.
  • Características: Árvore com copa globosa e ramos pendentes que lembram o Chorão (Salix babylonica).
  • Porte: 6 a 15 metros; em climas mais cálidos desenvolve menos em altura e alcança diâmetro de copa maior.
  • Fenologia: Primavera, frutificando no verão.
  • Cor da flor: Branca.
  • Fruto: Vermelho, em cachos pendentes.
  • Cor da folhagem: Verde clara.
  • Origem: Pampas e Mata Atlântica no Sudeste e Sul do Brasil. Norte e centro da Argentina, Chile Central, Uruguai e desertos andinos do Peru, Equador e Colômbia.
  • Clima: Temperado, subtropical. Tolerante a geadas e estiagem.
  • Luminosidade: Sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

8 Comments

  1. Raul, bom dia, estou em Portugal, costa do Sol, tenho 3 schinus mole que cresceram sem intervenções desde que estou nesta casa há 16 anos. De intervenções anteriores Têm alguns ladroes junto ao ao tronco principal , estão agora com pernadas muito pendentes em risco de quebrarem. Alguma recomendação de poda?

    • Boa tarde Pedro,

      Sim, pode cortar esses ladrões, fazendo uma poda. Isto irá beneficiar as árvores.

      Abraços

  2. Boa tarde, vivo na área de Lisboa, Portugal e tenho uma Schinus molle no meu jardim, que tem cerca de 40-45 anos e está a morrer. Gostava de saber quantos anos vivem, em média,estas árvores.
    Obrigada.

    • Boa tarde Ana,

      O Schinus molle é uma árvore de sucessão secundária e vive entre 70 a 100 anos, dependendo do clima e do solo. Ele é nativo das regiões temperadas e subtropicais do Brasil e da Argentina.

      Para revigora-lo faça furos com 10 a 30 centímetros de profundidade, de forma obliqua, a cada 20 centímetros na projeção da copa. Em seguida adicione, por m² o seguinte:

      – 400 gramas de torta de algodão;
      – 250 gramas de farinha de ossos;
      – 6 kg de cinzas de lenha, livres de sal e/ou gordura;
      – 4 kg de esterco curtido de gado.
      Passe uma vassoura de leve para que isto penetre melhor e regue em seguida delicadamente.

      Passados 60 dias adicione 200 gramas de húmus de minhocas por m², afofando de modo a penetrarem melhor.

      Este procedimento alongará a vida de sua árvore.

      Abraços

  3. Boa tarde, tenho duas árvores destas no meu jardim, mas receio ter que as arrancar porque já tive que cortar uma raíz a cada uma delas. As raízes estavam praticamente à vista e são grossas. Gostaria de perguntar se esta espécie tem só raízes superficiais ou terá outras mais profundas podendo causar danos, por exemplo nas tubagens de electricidade que passam no jardim.
    Muito obrigada!

    • Bom dia Sandra,

      O Schinus molle possui raízes fasciculadas, não agressivas. Entretanto podem causar danos se estiverem muito próximas dos encanamentos.

      Abraços

  4. Gosto muito desta árvore mas não a conheço o suficiente para saber qual a altura a que a sua copa fica do chão. Será que demoram muitos anos para que fique com uma altura do tamanho de uma pessoa?
    Obrigada

    • Oi Manuela,

      No texto acima, referindo-se ao porte, escrevi: 6 a 15 metros; em climas mais cálidos desenvolve menos em altura e alcança diâmetro de copa maior.

      O desenvolvimento é rápido. Não posso lhe dar uma informação mais precisa porque não sei qual é sua região.

      Abraços