Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Tamarix gallica

tamarisco, tamargueira

Foto de MottaW, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Uma pequena árvore que deslumbra quando floresce, brindando numerosas flores pequenas, formando racimos e cobrindo totalmente a copa. Desenvolve bem no litoral sul do Brasil, crescendo em solos arenosos e até em dunas, fixando-as, também é indiferente aos ventos. Tem uma ramagem lenhosa e frágil, com as pequenas folhas que a cobre. Se pretendemos formar apenas um tronco bem definido, é importante remover os galhos dos dois terços inferiores a cada inverno. Assim garantimos o crescimento correto.

Foto de Dguendel, CC BY 3.0, via Wikimedia Commons

É interessante salientar que sua seiva é um ingrediente para fazer um doce chamado Gaz , um tipo de torrone persa que inclui pistache, água de rosas e clara de ovo. A seiva também é conhecida como maná, o alimento enviado do céu nos textos abraâmicos. Tempos atrás descobriram que este maná não é a seiva da árvore, é o exsudato de uma cochonilha que vive no tamarisco (Trabutina mannipara). Essas cochonilhas vivem mais ou menos um ano, passando a vida inteira na tamargueira. As fêmeas produzem a substancia alimentando-se da árvore e, em seguida, soltando de seus corpos uma substancia leitosa e adocicada que gruda nos ramos espinhentos dela.

Foi descrito pela primeira vez, para classificação botânica, pelo botânico, zoólogo e médico sueco Carl Linnaeus (1707 – 1778) em 1753, mas já era cultivado desde 1596.

Foto de Krzysztof Ziarnek, Kenraiz, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Tamarix, é o antigo nome latino que se origina no rio Tambre (antigo Tamaris), um rio costeiro do noroeste da península ibérica, gallica alude à Gallia, a França dos romanos, um dos países onde a planta é nativa.

É multiplicado por estacas cortando-as com cerca de 40 centímetros de comprimento, em seguida fincando-as em um solo arenosos misturado com vermiculita. Colocando-as em sombra parcial e mantendo esse substrato úmido, elas criarão raízes em 2-3 semanas. Também pode ser reproduzido por sementes.

  •  Sinônimos estrangeiros: french tamarisk, saltcedar, (em inglês); tamarisco, tamarindo, mostacilla, talaya,​ pinebete, taray, taraje, (em espanhol); tamaris de France, (em francês); französische tamariske, (em alemão); tamarice gallico, tamerice comune, (em italiano); ashel, (em Israel); franse tamarisk, (em holandês);  tamaryszek francuski, (em polonês); salttamarisk, (em norueguês), amemmay, (em bereber); ranskantamariski, (em finlandês).
  • Família: Tamaricaceae.
  • Características: árvore caducifólia.
  • Porte: 4 a 7 metros de altura e um diâmetro de 5 a 8 metros.
  • Fenologia: final da primavera, verão e início do outono.
  • Cor da flor: rósea.
  • Cor da folhagem: verde acinzentada.
  • Origem: Mediterrâneo, Arábia Saudita, Irã e Península do Sinai.
  • Clima: temperado/subtropical (tolera seca).
  • Luminosidade: sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secured By miniOrange