Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Trachycarpus fortunei

palmeira-moinho-de-vento , palmeira-da-sorte

Certa vez a vi sendo cultivada em um condomínio, perto de Paraty e me perguntei: quem será o paisagista que escolheu justamente uma das poucas palmeiras do mundo originária de zonas onde neva, para usá-la numa região tropical onde a temperatura média anual é de 24º? A espécie há tempos é uma escolha entre os paisagistas europeus por causa da preferência que possui por invernos frios. Por exemplo, ela é plantada na Escócia, Bélgica, Alemanha, Dinamarca e até na Bulgária. Lá, na cidade de Plovdiv, os verões são geralmente quentes e secos, mas os invernos são de um frio siberiano, prova disto é que um Trachycarpus suportou -27,5º em 6 de janeiro de 1993, sem nenhuma consequência para sua saúde. Isto se deve a que seu tronco único fica coberto por uma camada fibrosa muito grossa, de cor cinza amarronzado, que a protege, servindo para fazer cordas, vassouras, sacos, capachos e inclusive servindo para confeccionar panos usados para vestir pessoas mais carentes na China. Suas folhas com forma de leque também são duras e resistentes.

No sul, é originária de uma latitude equivalente ao Uruguai e pode ser cultivada em áreas montanhosas como a Serra da Baitaca ou do Ibitiraquire no Paraná, e nas serras catarinenses e gaúchas. Mas no litoral do Rio Grande do Sul, especialmente acima da Lagoa da Mangueira, seu desenvolvimento será acanhado.

É sempre bom lembrar que os produtores de palmeiras, em todo o país, cultivam espécies para as mais variadas situações e que antes de vitimar uma planta é recomendável consultar um desses cultivadores, para esclarecer a melhor opção no projeto que o paisagista desenvolve.

  • Sinônimos estrangeiros: Chusan palm,windmill palm, chinese windmill palm (em inglês); palmito elevado, palmito de pié, palmera china de abanico(em espanhol).
  • Família: Arecaceae.
  • Porte: 10 a 18 m.
  • Fenologia: Atemporal (depende da região)mais frequente no verão.
  • Cor da flor: Amarelada e perfumada.
  • Cor da folhagem: Verde-escuro e acinzentadas por trás.
  • Origem: Província de Hubei, na China e ilha de Chusan, no Mar da China. Também nas montanhas de Índia, Mianmar e norte da Tailândia.
  • Clima: Temperado / subtropical (tolera neve e geadas).
  • Luminosidade: Sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

9 Comments

  1. Raul, posso plantar essa palmeira no Nordeste (interior da Bahia), numa região que ao longo do ano, em geral a temperatura varia de 18 °C a 35 °C e raramente é inferior a 15 °C ou superior a 37 °C?

  2. Posso plantar essa palmeira no Nordeste ( interior da Bahia),numa região verão que ao longo do ano, em geral a temperatura varia de 18 °C a 35 °C e raramente é inferior a 15 °C ou superior a 37 °C?

    • Izabel,

      O Trachycarpus fortunei é palmeira para climas frios. Não se desenvolverá bem no interior da Bahia.

      Prefira:

      – Attalea funifera – piassava;
      – Attalea pindobassú – pindobassú;
      – Butia capitata – butiazeiro;
      – Copernicia prunifera – carnaúba;
      – Mauritia flexuosa – burití;
      – Syagrus picrophylla – coco-da-quaresma;
      – Syagrus romanzoffiana – gerivá (FOTO).

      Abraços

  3. Boa tarde Raul.
    Moro em Bragança Paulista, São Paulo.
    Fiz o plantio dessa palmeira trachycarpus dia 08/12/18 percebi que ela deu uma sentida no plantio. Agora as folhas novas estão começando a ficar com as pontas com um tom meio preto. Isso é normal? Será que ela ainda está no stress do plantio? Posso molhar essa palmeira com frequência? Ela foi plantada em local que bate sol o dia todo. Parabéns pelo blog. Abs

    • segue a foto

  4. Olá Raul! Estou na dúvida sobre a saúde desse trachycarpus. É normal secar assim as pontas das folhas ou sinal de algum problema? Cidade de Pelotas-RS. Alguma recomendação para voltar a sua beleza? Obrigada!

    • Olá Ana,

      Talvez seja um ataque do bicudo (Rhynchophorus Ferrugineus).

      O método principal do controle desta praga é a aplicação de inseticidas em túneis escavados cerca de 5 cm acima das zonas infestadas do estipe. A praga pode ser monitorizada, também, pela utilização de armadilhas com feromonas.

      Abraços

      • Muito obrigada mestre Raul! Agora é investigar aqui para ver se é o tal. Grande abraço!

        • Você merece, Ana!

          Abraços