Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Flor do deserto

A Rosa do Deserto torna-se muito atrativa pela beleza das flores e a forma do caule

Flor do Deserto

A Rosa do Deserto (Adenium obesum), também chamada de Flor do Deserto, é uma planta perene e suculenta que produz deslumbrantes e grandes flores vermelhas e cor-de-rosa. Originária do Sul da África e da Península Arábica, torna-se cada dia mais procurada para ser cultivada no Brasil, onde tem atraído olhares e conquistado admiradores nas principais feiras de paisagismo e jardinagem do país.

Este arbusto suculento, com troncos muito grossos, apresenta folhas verdes brilhantes e ramos cinza lisos. Pode chegar a crescer até 3-4 metros de altura. As flores, que crescem em aglomerados, apresentam pétalas tubulares na base e extremidades alargadas. Reproduz-se melhor através de enxertos, uma que vez que a polinização não é muito eficaz. Ela cresce bem tanto em jardins exteriores, quanto em vasos para ambientes internos, quando se deve tomar toda a precaução com a drenagem.

A Rosa do Deserto torna-se muito atrativa pela beleza das flores, mas também pela forma pouco comum do caule muito desenvolvido na base, para que possa suportar fortes ventos e acumular água. Habituadas ao clima do deserto, também se adaptam e se desenvolvem bem em países tropicais. Ela necessita de plena luz solar e é tolerante ao calor. O solo deve ter drenagem rápida, uma vez que o apodrecimento da raiz e do tronco são doenças comuns.

Flor do Deserto

É recomendado fertilizar as plantas a cada duas semanas durante a primavera, especialmente quando as mesmas são jovens. Durante a primavera deve-se regar regularmente, mas durante o inverno o solo deve permanecer seco.

Normalmente esta planta irá florescer muito pouco tempo depois que é plantada, o que vai se repetir duas vezes ao ano, sendo a primeira na primavera e a segunda no final do verão ou começo do outono. De vida longa, a Flor do Deserto tem beleza realmente marcante, com apaixonados e colecionadores por todo o mundo.

Formada em Engenharia agronômica, pela Escola de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ-USP e em Direito, pela Instituição Toledo de Ensino. Tem pós graduação em Gestão Ambiental, pela ESALQ-USP e em Técnicas de Treinamento em Engenharia Agrícola, pela Sociedade Agrícola Alemã. Desenvolve projetos de paisagismo, tendo experiência como proprietária da empresa Estado de Sítio Paisagismo, como professora universitária da disciplina e na direção de Horto Florestal , além de atividades de extensão na área ambiental e como colunista do tema.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

86 Comments

  1. Essa era ela antes.

  2. Olá! Boa tarde! RAUL, tenho uma rosa do deserto e no início da primavera ela estava linda, com muitos botões e folhas verdinhas. A floração dela caiu, brotaram novos botões que estão abrindo porém as folhas estão com aspecto de queimada. As flores abrem, mas ficam sempre “cabisbaixas” meio caidinhas, é normal isso de estarem caidinhas? As folhas já sei que não estão normais, mas não sei o que têm, pensei em exccesso de água pois ela tomou chuva por uns dias. Ela não tolera bem a chuva? Agradeço a atenção! Foto em anexo.

  3. Boa tarde, minhas plantas estão infestadas com isso! Poderia me ajudar?

    • Bom dia Daniel,

      Suas mudas foram atacadas por ácaros. Faça pulverizações com enxofre, tomando o cuidado de alcançar frente e verso das folhas.
      Por causa da reflexão da luz, uma camada fina de
      casca de arroz, nos vasos e canteiros, inibe os ácaros.

      Abraços

  4. Olá!! Minha planta rosa do deserto ainda não floresceu – até ai acho que tudo bem. Está viçosa mas com uma certa oleosidade pegajosa nas folhas e alguns pontinhos que parecem pequeninas verrugas (não se mexem ou parecem ser pulgões). É normal? O que seriam estes dois fenômenos e como tratar? Será que podem me ajudar, por favor?

    • Posso ajuda-la sim, Monica,

      Sua rosa do deserto foi atacada por ácaros. Uma colher de sopa de farinha de trigo misturada em 1 litro de água, para pulverizar as folhas, é muito eficaz para combate-los. Repita essa pulverização mais duas vezes, semanalmente.

      Por causa da reflexão da luz, uma camada fina de
      casca de arroz, onde está plantada, também os inibe.

      Abraços

  5. Bom dia uma das minhas rosas do deserto está com as folhas enrugadas esta com um Verde mais claro não aparece insetos nela o que será?

    • A minha também está com nascendo folhas enroladas, já olhei e, aparentemente, não verifiquei nenhum bichinho nelas, o que pode ser isso? Me ajude, por favor🙏

      • Gilveline,

        Siga as mesmas recomendações dadas à Liria.

        Abraços

    • Boa tarde Liria,

      Ela foi atacada por tripes, insetos pequenos e sugadores que causam, além das deformações nas folhas, o desaparecimento da clorofila, formando manchas pálidas.

      Placas atrativas na cor branca ou azul, besuntadas de
      melaço misturado a um inseticida leve resolvem o problema.

      A falsa-mirra (Tetradenia riparia) é ótima para afugentar o tripes.

      Abraços

  6. Bom dia, Sr. Cânovas.
    Estou com problema nos meus cravos: estão aparecendo manchas brancas acinzentadas nas folhas

    • Boa tarde Luana,

      Seus cravos foram atacados pelo Oídio.

      Com temperaturas suaves e umidade alta, esse fungo aparece em
      ambas as faces da folha, revestindo-a com uma poeira cinzenta. Ataca principalmente as brotações que recebem menos sol.
      Pétalas de flores também podem ser atacadas.

      Pulverize semanalmente com uma solução feita com 10% de leite azedo e 90% de água pura. Bastam 3 aplicações para acabar com esse fungo.

      Abraços

  7. Olá, as folhas da minha beldroega ou onze horas estão com essas manchas brancas. O que é? E o que posso fazer para tratar?

    Obrigada.

    • Olá Mariana,

      É uma ferrugem que atacou sua planta.

      O excesso de nitrogênio e a umidade alta, especialmente na primavera e nas regiões baixas, favorece esta doença, que surge com manchas amarelo-alaranjadas ou marrom-avermelhadas nas folhas.

      Segue uma boa receita para solucionar o problema:

      100 gramas de alho macerado durante 24 h. em 2 colheres de sopa de óleo mineral, adiciona-se a 10 g de sabão de coco em 1/2 litro de água. Diluir em 2 litros de água e pulverizar 3 vezes, semanalmente.

      Abraços

  8. MINHA ROSA ESTÁ COM O TRONCO UM POUCO AMARELADO O QUE FAÇO ME AJUDE

    • Andrea,

      Apenas com essa observação não consigo diagnosticar exatamente o que acontece com sua planta mas, em todo caso pode aduba-la com Forth Cote 14-14-14, trimestralmente até o outono.

      Abraços