Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Socotra

Socotra ou Soqotra é um pequeno arquipélago (formado por quatro ilhas e mais algumas ilhotas) do Oceano Índico situado ao largo da costa da Somália, cerca de 350 km ao sul da península Arábica. Faz parte da República do Iêmen.

Socotra é um dos pedaços de terra de origem continental, ou seja não vulcânica, mais isolados do planeta. O arquipélago fazia parte do supercontinente Gondwana e dele se separou durante o Plioceno (há 6 milhões de anos) no mesmo evento em que se formou, a noroeste, o Golfo de Aden.

Adenium obesum socotranum

O clima é tropical-desértico com leves chuvas sazonais (inverno) mais abundantes nas áreas interioranas altas do que no litoral. Na época das monções os ventos são fortes e o mar bravio.

Dracaena draco

Socotra é um lugar onde mais de um terço das 800 espécies animais e vegetais existentes só são encontradas ali, ou seja, são endêmicas, portanto, é um local de importância fundamental para a conservação da biodiversidade do planeta. Muitas das espécies vegetais endêmicas são relíquias da antiga flora que se adaptaram à vida insular. As plantas em Socotra vivem e vegetam apesar do clima extremamente seco, de verões muito quentes varridos por ventos de 70 milhas p/hora, do duro e árido solo das desérticas planícies, planalto e montanhas de granito. Talvez a mais impressionante árvore de Socotra seja a Dracena cinnabarí (sangue-de-dragão) encontrada acima dos 500 metros de altitude. Trata-se de uma espécie que só existe na ilha e é parente da Dracena draco. O nome sangue-de-dragão tem relação com a resina vermelha obtida da casca da árvore muito valorizada em tempos passados. Foi usada como pigmento de tintas, para o tratamento de disenteria e queimaduras, para firmar dentes abalados, para aumentar a cor de pedras preciosas, do vidro colorido, do mármore e até da madeira de violinos italianos. Apesar de não ter mais valor comercial, os socotranos ainda a usam para lenir males do estômago, tingir lã, refrescar o hálito, decorar cerâmica, colorir suas casas e como batom.

A mais óbvia estratégia de sobrevivência está no Adenium obesum sokotranum (rosa-do-deserto) que desenvolveu um tronco bojudo cujo diâmetro chega a atingir 3 metros, onde fica armazenada a água para o período de estiagem.

Escritora, poliglota, amante da leitura e apaixonada pelo mundo vegetal.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.