Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Como usar um bambu não invasivo no paisagismo

Ouvimos sempre que os bambus são invasivos e por isso seu aproveitamento no jardim é complexo, por não dizer quase impossível e as vezes descartado como uma erva daninha qualquer. Eu sempre gostei dessas espécies. Lembro da primeira vez que os utilizei e com temor de que invadisse todo o jardim que estava projetando, fiz uma barreira de concreto subterrânea, ao longo do canteiro onde tinha planejado colocá-los, para que não alastrassem, formando corredores embaixo da superfície com seus rizomas. Isto foi há muitos anos e aconteceu por não saber sobre as diferenças destas espécies que pertencem a família das Poaceae, onde aproximadamente 1300 espécies delas habitam no mundo, distribuídas em 90 gêneros e nativas em quatro continentes, menos na Europa. Eles ocupam zonas tropicais e temperadas, crescendo em diferentes alturas sob o nível do mar, alguns desenvolvem até acima de 4.000 metros.

Os bambus oferecem a vantagem de reter dióxido de carbono, gerando oxigênio e controlando a erosão, especialmente em taludes, onde pode ser cultivado junto a outras espécies arbóreas e arbustivas que possuam diferentes profundidades nos seus sistemas radiculares, também oferecem boa opção funcionando como quebra-ventos, já que seus colmos são flexíveis, curvando-se perante as fortes correntes do ar. Alguns são altíssimos, como Dendrocalamus giganteus, que cresce nas encostas dos morros, em Mianmar, Butão, China e Tailândia e pode alcançar até 30 metros de altura, possuindo colmos enormes, com uma camada branca e cerosa quando novos. Outros são baixinhos, como o Pogonatherum pan iceum, que não passa dos 50 centímetros. Enfim, há bambus para todas as necessidades e gostos, sendo que não precisam de defensivos ou fertilizantes para crescer, requerendo muito pouca água, além do mais, por causa de sua silhueta densa são uma ótima alternativa para quem precisa de privacidade.

Mas vamos falar daqueles bambus que não são invasivos, isto se deve a que possuem raízes paquimorfas, isto é rizomas curtos que não se espalham, crescendo bem próximos um do outro, de modo confinado, prosperando apenas nos campos em que crescem. Eles são uma ótima alternativa nos pequenos jardins por não serem alastradiços.

Quais são as vantagens destes bambus?

  • Tem um sistema radicular não invasivo;
  • São de crescimento rápido;
  • Oferecem proteção contra o vento, formam barreiras acústicas e brindam privacidade;
  • São resistente à estiagem;
  • Se desenvolvem em vários padrões e tonalidades, atraentes e interessantes;
  • Ocasionam uma alternativa para a erosão do solo;
  • No verão diminuem a temperatura ambiente;
  • Purificam o ar de forma intensa em comparação com outras plantas.

A seguir alguns que podem ser adquiridos em viveiros que cultivam plantas ornamentais:

  • Bambusa multiplex “Elegans” bambu-folha-de-samambaia;
  • Bambusa textilis gracilis – bambusa-gracilis;
  • Bambusa vulgaris vittata – bambu-brasil;
  • Bambusa ventricosa – buddha’s belly;
  • Fargesia jiuzhaigou “Red panda” – bambu-panda-vermelho.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

7 Comments

  1. Ótima informação.
    Obrigado!!

    • Você merece, Guillermo!

      Abraços

  2. coloquei uma imagem indevida no comentário. desculpe.
    se puder apagar, eu agradeço.

  3. Muito bom! amei o artigo.

    • Olá Camilla,

      Seu comentário é um incentivo para nós, obrigado!

      Retiraremos a imagem.

      Abraços

  4. Gostei muito excelente

    • Jorge Luis,

      Obrigado pelo comentário, sua opinião nos estimula!

      Abraços