Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Os erros cometidos na jardinagem e paisagismo

Vejo, com uma certa tristeza, que o oficio de jardineiro é banalizado no Brasil, ao ponto dele dar lugar a indivíduos que pouco ou nada entendem sobre as atividades que a ocupação requer. Esta é uma função que é desenvolvida por gente sem capacidade para entender como uma planta deve ser tratada.

Na Alemanha, só para citar um país entre tantos, a formação de jardineiro leva três anos. No decurso desse tempo o aspirante apreende sobre o cultivo de árvores e a propagação de plantas lenhosas e frutíferas, sem descuidar os métodos ecológicos que não poluem o solo ou a água. Apreendem, igualmente, o manejo de arbustos e forrações floríferas, assimilam conhecimentos sobre sua reprodução por sementes ou estacas. Absorvem tecnologias acerca de nutrição e controle de pragas e doenças, assim como o usos de ferramental e maquinaria apropriada para cada função. Ele termina se formando com a capacidade de construir campos desportivos ou jardins particulares e corporativos.

Nos Estados Unidos é bastante parecido, lá, durante três anos, tem a formação de Bacharel em Horticultura, isto é um diploma que o habilita a cuidar de jardins com perícia. Para exercer a atividade de paisagista, nesse país, são necessários quatro ou cinco anos de estudos em diversos lugares do país, como Pennsylvania, Texas ou Ohio.

Estou apontado isto porque observo a falta de conhecimento dos nossos “jardineiros”, estes, quando adquirem um pouco de informação e clareza tornam-se “paisagistas”, para desespero de muitos.

É por isso que decidi apontar dez falhas (por não dizer crimes) que afetam nossas áreas verdes. Seguem:

  1. Podas desnecessárias, sem considerar as épocas de florada e mutilando espécies, como dracenas, fórmios e outras que dispensam a supressão de qualquer parte da planta;
  2. Uso de terra mista, sendo uma parte de saibro e a outra de um solo fértil. Isto é crime ambiental, porque o retiro de terra prejudica a área de onde está sendo removida. Há uma variedade enorme de substratos, que devem ser utilizados, para esta mesma tarefa;
  3. Utilização de adubos e fertilizantes sem conhecer a incidência deles nas plantas e usando dosagem não recomendada;
  4. Aplicação de inseticidas e defensivos sem qualquer esclarecimento;
  5. Fazer “covas” acanhadas para o plantio. O correto é cavar berços amplos, onde a muda crescerá junto com substratos de qualidade;
  6. Plantio de árvores e arbustos sem noção sobre o sistema radicular. Muitas vezes em lajes ou vasos;
  7. Emprego de espécies de sol na sombra e vice-versa, assim como desconhecer os fatores de temperatura e umidade, necessários para um bom desenvolvimento;
  8. Desconhecimento de plantas tóxicas, sendo aplicadas em playgrounds, escolas e outros lugares frequentados por crianças;
  9. Corte da grama muito baixa e com maquinaria não adequada, expondo as raízes e invalidando a propagação da folhagem;
  10. Cobertura de gramados com terra, sufocando a grama e compactando o solo.

Talvez se cometam outras barbaridades,  mas creio que estas sejam as principais.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

17 Comments

  1. Boa Tarde.

    Gosto muito deste site, porque tem informações muito importantes sobre vegetação. Não sei se a pergunta que vou fazer está fora do contexto do site, mas não custa tentar: eu tenho vontade de cultivar mudas de plantas em perigo de extinção da mata atlântica, num terreno não muito grande, que fica num lugar meio afastado do centro da cidade. Será que depois existe mercado para comercializar essas plantas? Obrigada.

    • Bom dia,

      Sim acredito que há, cada vez mais, demanda por plantas nativas. Isto eu venho constatando neste blog, onde recebo sempre questões envolvendo o tema.

      Toque o barco!

      Abraços

      • Obrigada,
        Outro abraço

        • Você merece!!!

  2. Além dos problemas de preparação técnica para exercer uma profissão tão nobre como a de jardineiro existe otro problema que eu considero mais grave, o problema cultural.
    Hoje em dia qualquer um que compra uma roçadeira e umas tesouras de podar se considera jardineiro e o pior é que aceita-se como tal.

    • Olá Guillermo,

      A dificuldade mais séria é a do cliente consentir que seu jardim seja tratado por um individuo que não ateste conhecimentos para essa tarefa.

      Abraços

      • mas cobrar eles sabem, e muito bem, rs

        • Pois é!!!

  3. O que é necessário para se fazer uma escola de jardinagem , mesmo que não oficializaras .
    Um curso básico que possa depois ser base para aperfeiçoamentos e abrir espaços para especialidades z.
    Voltados para jovens que se profissionalizem. Algo como faz o SENAC com outras profissões .

  4. Acho que o maior problema aqui é a falta de cursos adequados .
    Cordeirópolis , onde moro ,, é produtor de flores , tem lojas excelentes de plantas ; Limeira tem produtores de mudas importantes mas Não conheço nenhuma escola de jardinagem.

    • Querida Vilma,

      Em primeiro lugar agradeço o comentário!

      Há várias escolas de paisagismo, entretanto não ocorre o mesmo com institutos que ministrem aulas de jardinagem, como nos Estados Unidos, Alemanha, Itália, etc.

      Uma pena, porque desta forma não se capacitam pessoas competentes para lidar com nossos jardins.

      Abraços verdes!

  5. Boas informações.Gostaria de saber se há um livro sobre paisagismo, ensinando topiaras, desenhos paisagístico,técnicas de manutenção e limpeza de jardins com fotos bem ilustrativas a sugerir

    • Oi Patrícia,

      Que tal meu livro “Um Jardim Para Sempre”? nele escrevi sobre as técnicas de manutenção de áreas verdes.

      Para mais informações clique em: http://loja.jardimcor.com/produto/livro/

      Abraços

  6. Sobre a cobertura de grama com terra e pratica muito usual aqui nem curitiba em grama são carlos. Entendo como problema ambiental porém como tem hábito de crescimento por estolao somente apresenta resultado satisfatório. Sem excessos claro.

    • Olá Anderson,

      Obrigado pelo comentário!

      Além do dano que causa ao Meio Ambiente, também compacta o solo, evitando uma boa drenagem e pode carregar sementes que, germinando, praguejam o gramado.

      A areia em uma porcentagem de 70 ou 80%, misturada a um bom condicionador, é ideal para fazer coberturas, estimulando o escoamentos das águas e nivelando o terreno.

      Abraços

  7. na chácara do meu pai, um ‘jardineiro’ foi contratado para tirar o mato, mas ele arrancou pé de bambusa, um pé de amora, e aquela planta chamada costela de adão, mudas de jaboticaba, dizendo que aquilo tudo era mato.

    • Vixe! Faltou perguntar o que não era mato para ele!!!

      Abraços