Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Plantas que aceitam bem a onda de frio no Brasil

Não são poucas as plantas que adoram as temperaturas baixas de agosto. Até precisam de frio para um bom desenvolvimento.

As temperaturas negativas ocasionaram geadas e até neve em várias cidades, como em Curitiba e também nas regiões serranas de Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Essa chegada de uma massa de ar polar não deve ser analisada como algo desagradável, mas como benéfico para muitas árvores e arbustos que necessitam de ventos gelados para hibernar e reverdecer no próximo mês de setembro. Até algumas palmeiras demandam este clima onde as temperaturas estão próximas de zero.

Quando escolhemos espécies para as regiões do sul do país e até para localidades serranas do sudeste, devemos estar atentos com suas características e sua aclimatação no clima temperado. Cidades como Campos do Jordão, São Joaquim, Xanxerê, no Oeste de Santa Catarina, General Carneiro, no Paraná, Itatiaia, Nova Friburgo e Teresópolis, no Rio de Janeiro, Bento Gonçalves, na região do Vale dos Vinhedos, Poços de Caldas e Monte Verde, em Minas Gerais, Gramado e Canela, em Rio Grande do Sul e muitas outras exigem, especialmente, essências nativas ou exóticas vindas de climas análogos, onde as temperaturas são parecidas. Devemos levar em conta que a neve ocorre com regularidade anual ap enas acima dos 1.000 metros de altitude, nos estados de Rio Grande do Sul e Santa Catarina, assim como na região serrana de Açungui, no Paraná. Portanto a seleção de plantas adequadas é fundamental, para que o jardim possa desenvolver ao longo dos anos.

A seguir algumas que recomendo para os invernos com temperaturas próximas de zero grau:

ÁRVORES

  • Acacia mearnsii – acácia-negra;
  • Acacia podalyraefolia – acácia-mimosa;
  • Acacia podalyriifolia – acácia-mimosa.
  • Acer palmatum – bôrdo-japonês;
  • Acer palmatum “Atropurpureum” – bordo – palmado;
  • Acer pseudoplatanus – bordo – japonês;
  • Albizia julibrissin – acácia-de-constantinopla;
  • Brachychiton populneus – perna-de-moça;
  • Callistemon speciosus – escova-de-garrafa;
  • Castanea sativa – castanheira-portuguesa;
  • Catalpa bignonioides – árvore das trombetas;
  • Cercis siliquastrum – árvore-de-judas;
  • Cinammommum camphora – cânfora;
  • Fagus sylvatica ‘Purpurea’ – faia.
  • Fraxinus excelsior “Aurea” – freixo-amarelo;
  • Ginkgo biloba – ginkgo;
  • Jacaranda mimosaefolia – jacarandá-mimoso;
  • Koelreuteria paniculata – coreutéria;
  • Lagerstroemia indica – resedá;
  • Liquidambar styraciflua – liquidâmbar,
  • Liriodendron tulipifera – tulipeiro;
  • Melia azedarach – cinamomo;
  • Morus alba – amoreira;
  • Olea europaea – oliveira;
  • Populus alba – choupo;
  • Populus nigra – choupo
  • Prunus cerasifera ‘Nigra’ – ameixeira-do-jardim-vermelha;
  • Prunus serrulata – cerejeira ornamental;
  • Quercus rubra – carvalho-vermelho;
  • Robinia pseudoacacia – robinia;
  • Salix humboldtiana – salgueiro-chorão;
  • Taxodium distichum – pinheiro-do-brejo.

Acer palmatum “Atropurpureum”

PALMEIRAS

  • Butia eriospatha – butiá-da-serra;
  • Ceroxylon andinum – palmeira-de-cera;
  • Chamaerops humilis – palmeira-leque-europeia;
  • Jubaea chilensis – palmeira-do-chile;
  • Livistona chinensis – falsa latânia;
  • Phoenix canariensis – tamareira;
  • Phoenix roebelenii – tamareira-de-jardim
  • Phoenix rupícola – tamareira-do-rochedo;
  • Rhopalostylis sapida – nikau;
  • Sabal minor – sabal-anão;
  • Sabal palmetto – sabal-da-flórida;
  • Trachycarpus fortunei – palmeira-moinho-de-vento-da-china;
  • Trithrinax campestris – caranday;
  • Washingtonia filifera – washingtônia-de-saia;
  • Washingtonia robusta – palmeira-de-leque-do-méxico.

Chamaerops humilis

ARBUSTOS

  • Abelia grandiflora – abelia;
  • Berberis thunbergii – berberis;
  • Brunfelsia uniflora – manacá-de-cheiro;
  • Buddleja davidii – budleia;
  • Calliandra haematocephala – caliandra-pom-pom;
  • Calliandra twedii – esponjinha-vermelha;
  • Chaenomeles speciosa – marmelinho ornamental;
  • Combretum fruticosum – escova-de-macaco;
  • Cornus sanguinea – cornus;
  • Cotinus coggygria “Royal purple” – árvore de fumaça;
  • Cotoneaster horizontalis– cotoneaster-rasteiro;
  • Elaeagnus pungens ‘Maculata’ – eleagno-variegata;
  • Euonymus japonica – evônimo;
  • Gardenia jasminoides “Veitchii”  – jasmim-do-cabo-anão;
  • Hibiscus syriacus – rosa-de-sharão;
  • Hypericum inodorum – hipérico;
  • Ilex aquifolium  – azevinho;
  • Jasminum nudiflorum – jasmim-arbustivo-amarelo;
  • Jasminum polyanthum – jasmim-dos-poetas;
  • Laurus nobilis – louro;
  • Lavandula angustifolia – alfazema;
  • Ligustrum sinense “Variegatum”;
  • Loropetalum chinense – amamélis;
  • Mahonia aquifolium – maónia;
  • Nandina domestica – nandina;
  • Nerium oleander – espirradeira;
  • Philodendron bipinnatifidium – guaimbê.
  • Phormium tenax – formio;
  • Photinia frasseri – fotinia;
  • Pittosporum eugenioides – pitósporo;
  • Pittosporum tenuifolium – pitósporo;
  • Pittosporum tobira – pitósporo;
  • Plumbago auriculata – bela-emilia;
  • Rhododendron simsii – azaléia;
  • Rhododendron thompsonii – rododendro;
  • Spartium junceum – giesta;
  • Spiraea cantoniensis – buquê-de-noiva;
  • Veronica spicata – verônica;
  • Viburnum suspensum – viburno-da-flor-pendente.

Chaenomeles speciosa

FRUTÍFERAS DE PEQUENO PORTE 

  • Acca sellowiana – goiaba-serrana;
  • Citrus hystrix – lima-de-cafir;
  • Diospyros inconstans – marmelinho;
  • Eugenia pyriformis – uvaia;
  • Myrciaria tenella – cambuí;
  • Prunus mume – umê.
  • Punica granatum – romã;
  • Vaccinium corymbosum – mirtilo.

Acca sellowiana

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

6 Comments

  1. Boa tarde Raul. Tudo bem? Continuo aqui super aproveitando suas dicas e lendo suas matérias. Será que poderia me indicar plantas de frio, seguindo a mesma linha de pensamento da matéria acima, mas de lugares sombreados? pode ser até mesmo para forração. Uso muito a vinca maior e ela é realmente espetacular!
    Muuuuito obrigada,

    Juliana

    • Bom dia Juliana,

      Obrigado por acompanhar nosso trabalho!

      Lhe envio uma relação de forrações para clima frio, que vegetam bem na sombra:

      Hedera canariensis – hera-batata;
      Viola odorata – violeta-de-cheiro;
      Ajuga reptans – ajuga;
      Vinca major – pervinca;
      Zantedeschia aethiopica – copo-de-leite;
      Begonia semperflorens – begônia cerosa;
      Clivia miniata – clivia;
      Chlorophytum comosum – clorofito;
      Impatiens New Guinea – alegria-do-lar;
      Dichondra repens – dichondra (FOTO);
      Lamium maculatum – chuchas;
      Saxifraga stolonifera – barba-de-arão.

      Abraços

  2. Que belas plantas!!!
    Trabalho com paisagismo de condomínios e adoro suas dicas.
    Segui algumas e ficaram perfeitas.
    Aqui em SP já faz um bom tempo que não faz tanto frio, mas nunca sabemos, este ano por exemplo tivemos pouco frio e estas plantas também aguentam o calor?
    Que colorido lindo para o inverno.

    • Oi Reinaldo,

      Algumas podem suportar invernos menos frios, entretanto as que menciono acima preferem invernos marcantes, com temperaturas baixas, para desenvolverem em total plenitude.

      Abraços

  3. Raul tenho uma rainha das árvores e gostaria descaber se tem alguma técnica para plantar a linda semente que ela produz. Desde já agradeço as Fotos maravilhosas que você tem nos presenteado.

    • Flávia,

      a Amherstia nobilis pode ser reproduzida através de sementes bem maduras. As mudas requerem de 7 a 8 anos para florescer. Por este motivo prefira usar técnicas de alporquia.

      Abraços