Pergunte ao Raul

ATENÇÃO LEITORES

Esta seção foi especialmente preparada para responder dúvidas e perguntas dos leitores do Jardim Cor. Preencha todos os campos abaixo e faça a sua pergunta. Em breve responderemos.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.



5.475 Interações

  1. Ediney

    Cidade: Blumenau - SC

    Boa tarde.
    Estou querendo plantar algum tipo de arvore para fazer sombra em frente a minha casa, fiquei interessada no Flamboyan, mas tenho duvidas. Então qual seria a melhor arvore para sombras, e que não prejudicasse minha calçada. Tenho espaço aproximado de 5 a 6 metros da calçada até a casa.
    Obrigado

    • Boa tarde Ediney,

      O flamboyan não é apropriado para uma calçada, por causa de suas raízes superficiais e sua copa com um diâmetro que pode alcançar mais de 20 metros.

      Para Blumenau aconselho as seguintes:

      Hibiscus pernambucensis – guanxuma-do-mangue;
      Tabebuia cassinoides – caixeta;
      Tabebuia dura – ipê-branco-do-brejo;
      Tibouchina mutabilis – manacá;
      Bauhinia forficata – pata-de-vaca-branca;
      Pterocarpus violaceus – aldrago (FOTO);
      Holocalyx balansae – alecrim-de-campinas;
      Cordia glabrata – louro-branco;
      Machaerium aculeatum – jacarandá-bico-de-pato;
      Senna macranthera – manduirana.

      Abraços

  2. Isabella Bráz

    Cidade: Patos de Minas - MG

    Boa tarde, tudo bem?
    Tenho uma tuia holandesa e ela está secando. Gostaria de saber se ainda da pra salvá-la. Não queria perder ela.

  3. Cidade: São Paulo - SP

    Bom dia, tudo bem?
    Muito bom o site, consegui várias dicas.
    Queria tirar uma dúvida, quero fazer um mini jardim dentro de uma vaso de vidro. Quais flores você me aconselha a usar? E na terra é preciso algum tipo de pedras para não ficar muito molhado?

    Abraço

  4. Eliana melo soares

    Cidade: São paulo - SP

    Oi Raul tudo bem? Gostaria de saber se este espaço é muita terra para gáveas e cactos. Como faço o preparo certo para as planta . Um abraço Eliana

    • Olá Eliana,

      Bem, isto depende do número de mudas que irá usar. No caso dos Agaves vejo que são várias as espécies. O maior, de cor cinza, alcança um diâmetro de 2,50 metros, já o menor por volta de 1,50 m.

      O solo deve ser preparado de modo a drenar bem, com 40% de areia e 20% de um bom substrato e os 40% restantes com a terra do local.

      Abraços

  5. Maria cristina dantas

    Cidade: Brasilia - DF

    Tenho 5 salix colunar de 10anos.sempre estiveram muito bonitos.agora começaram a secar.o que posso fazer para evitar que morram?

    • Olá Maria Cristina,

      Eles podem ter sido atacados por uma ferrugem que afeta o gênero Salix a Melampsora sp. Esse fungo produz manchas amareladas nas folhas antes de caírem. Outra doença similar é a Cercospora salicina, com sintomas parecidos.

      Tente desfolhar essas árvores e depois queime as folhas. Em seguida faça 3 pulverizações com calda bordalesa (uma por semana).

      Em cada árvore aplique a uma distancia de 10 centímetros do tronco, 300 g de calcário dolomítico e 50 g de sulfato de potássio, afofando o solo para que tudo isto penetre melhor. Regue moderadamente.

      Abraços

  6. Sandra

    Cidade: São Paulo - SP

    Olá Raul,

    Plantei minha Rafi e estou percebendo que as folhas embaixo estão amareladas. Fica na sala, rego a cada 15 dias. Antes do transplante fazia a mesma coisa e estavam verdes escura. Você pode me ajudar

    • Posso sim, Sandra,

      Você vai proceder da seguinte maneira:

      – Regue moderadamente, uma vez por semana, apenas para manter o solo do vaso levemente úmido e enxuto. Nunca encharcado;
      – Diariamente pulverize as folhas com água mineral enriquecida com o fertilizante Casa Verde Foliar (apenas 3 gotas em 50 ml).

      Ele recuperará rapidamente.

      Abraços

  7. Janete Taveira

    Boa noite, amigo Raul!
    Tudo bem com você?
    Estou preocupada com o que vem acontecendo com os ingazeiros da minha fazenda, a Estancia Catijo.
    De uns dia para cá, muitas folhas começaram a cair e eles começaram a ficar com aparência de árvore seca.
    São mais de 15 arvores adultas em dois lugares da fazenda.
    Não sei o que fazer.
    Pode me ajudar?
    Um grande abraço !

    • Bom dia Janete,

      Tudo bem comigo! E com vocês? É um prazer receber sua consulta e gostaria de poder ajudá-la, embora seja difícil avaliar com exatidão o problema de seus ingazeiros.

      Mas, quase com certeza, se trata de brocas. Elas podem ser eliminadas usando armadilhas feitas de garrafas pet de dois litros, com uma abertura lateral. Elas são colocadas de cabeça para baixo, com a tampa de plástico fechada e amarradas nos galhos das árvores. A engenhoca atrai a broca com uma isca feita com uma mistura de álcool de cozinha, metanol e café. Quando entra na armadilha, o inseto cai na solução e morre afogado. Também o fungo Beauveria bassiana é uma alternativa para o combate dessa broca.

      Eu aconselho, Janete, consultar um agrônomo, por vioa das dúvidas, antes do que o estrago seja maior.

      Abraço saudoso!

  8. Ivana

    Boa noite! Estamos fazendo uma pesquisa e não encontramos a razão de muitas arvores estarem morrendo em Santos, SP. Ocorre que desde o final do ano passado percebemos as pontas de galhos de diversas árvores secando, perdendo as folhas e, m seguida houve uma intensa brotação de folhas, diretamente no tronco. Alguns dias depois percebemos os troncos rachando e na semana seguinte, começaram a descascar. Isto está acontecendo ao mesmo tempo com espécimes de várias famílias/espécies. Será que viu algo assim?

  9. Arq Noemi Bastos

    Cidade: Itaperuna - RJ

    Raul , gostaria de orientação dobre cuidados com as frutiferas . Melhor época p podas de arbustos ( laranjeira) ,
    Mangueiras, acerola, jabuticabeiras, etc Enfim um pomar ! Admiramos seu trabalho de conscientação dos Brasileiros !! Abs Ja assistimos uma Palestra na ABD ! Temos foto e livro autografado !!

    • Olá Noemi,

      É um prazer receber sua pergunta. Mas não é possível generalizar sobre as frutíferas em termos de poda. Cada espécie deve ser podada dependendo da época da frutificação, sendo depois da colheita – em principio – o período ideal para essa tarefa.

      No capítulo sobre podas, de meu livro “Um Jardim Para Sempre”, na páginas 87, 88, 89 e 90, há itens que podem lhe ser úteis.

      Abraços

  10. Andréa Nunnenkamp

    Cidade: Porto Alegre - RS

    Olá!
    Em primeiro lugar amei o site!
    Adorei informações sobre “Bichos no Jardim”. Saberia me indicar plantas que atraem joaninhas, e plantas que atraem abelhas sem ferrão, destacando-se plantas nativas aqui do Rio Grande do Sul.
    Também gostaria muito de adquirir os livros: Um Jardim para Sempre e O jardim como Remédio, seria possível?
    Agradeço antecipadamente a atenção

    • Olá Andréa,

      Que bom que você gostou!

      As plantas que atraem joaninhas são:

      Achilea millefollium – milefólio
      Anethum graveolens – endro
      Angelica Officinalis – angelica
      Calendula officinalis – calêndula
      Cominum cyminum – cominho
      Coreopsis lanceolata – coreopsis
      Coriandrum sativum – coentro
      Cosmos bipinnatus – cosmos
      Daucus carota – cenoura
      Daucus carota sativa – cenouras
      Foeniculum vulgare – funcho
      Pelargonium sp – gerânios
      Pimpinella anisum – erva-doce
      Taraxacum officinale – dente-de-leão

      Para atrair abelhas sem ferrão na sua região:

      Ageratum houstonianum – agerato
      Ocimum gratissimum – alfavaca
      Cichorium intybus – almeirão-raditi
      Antigonon leptopus – amor-agarradinho
      Dombeya wallichii – astrapéia
      Portulaca oleracea – beldroega
      Brassica oleracea – brócolis
      Bulbine frutescens – cebolinha-de-jardim
      Spiraea cantoniensis – buquê-de-noiva
      Myrciaria glazioviana – cabeludinha
      Euphorbia leucocephala – cabeça-de-velho
      Stenocalyx dysentericus – cagaita
      Muntingia calabura – calabura
      Calendula officinales – calêndula
      Calliandra brevipes – esponjinha-rosa
      Lantana camara – cambará
      Matricaria chamomilla – camomila
      Croton floribundus – capixingui
      Pyrostegia venusta – cipó-são-joão
      Cosmos bipinnatus – cosmos
      Dahlia- dália
      Digitalis purpurea – dedaleira
      Cuphea gracilis – érica-branca
      Handroanthus impetiginosus – ipê-roxo
      Tecoma stans – ipê-de-jardim
      Plinia cauliflora – jabuticaba
      Jacaranda mimosifolia – jacarandá-mimoso
      Jacquemontia montana – céu-azul
      Syzygium malaccense – jambo-roxo
      Syagrus romanzoffiana – jerivá
      Lonicera periclymenum – madresilva
      Tibouchina mutabilis – manacá
      Cleome hassleriana – mussambê
      Erythrina verna – mulungú
      Murraya paniculata – murta-de-cheiro
      Eriobotrya japonica – nêspera
      Pereskia aculeata – ora-pro-norbis
      Tibouchina holosericea – orelha-de-onça
      Caesalpinia ferrea – pau-ferro
      Prunus persica – pessegueiro
      Eugenia uniflora – pitanga
      Phyllanthus niruri – quebra-pedra
      Lagerstroemia indica – resedá
      Salvia guaranitica – sálvia-azul
      Plantago major – tanchagem
      Tithonia diversifolia – margaridão
      Vitex agnus-castus – vitex

      Um Jardim para Sempre será reeditado proximamente e O Jardim como Remédio está esgotado, Andréa.

      Abraços

  11. Valmir Oliveira Jankowski

    Cidade: Socorro - SP

    Olá, Sr Raul. Tudo bem?

    Gostaria de substituir o concreto da minha calçada por gramado. O senhor poderia me orientar quanto ao plantio e a manutenção? É uma área que bate pouco sol.Penso também em aproveitar a ocasião e plantar alguma trepadeira no muro de casa que de um belo aspecto outonal. Poderia me orientar a quais espécies eu poderia plantar?
    Minha última questão seria em relação ao plantio de Araucária. Poderia me orientar a como efetuar o plantio da mesma? Tenho uma imensa admiração por esta espécie que, dentre as nativas daqui, é a mais esquecida.

    Muito obrigado pela atenção e uma boa semana.

    • Olá Valmir,

      A grama São Carlos tolera um pouco melhor áreas sombreadas, entretanto se são são mínimas as horas de sol prefira forrações, como:

      – Dichondra repens – dichondra;
      – Tradescantia zebrina purpusii – lambari-roxo;
      – Hedera canariensis – hera-batata;
      – Ajuga reptans – ajuga.

      A trepadeira falsa-vinha (Parthenocissus tricuspidata) fica com as folhas coloridas no outono (FOTO).

      A araucária [Araucaria angustifolia) deve ser plantada em um berço de 70 x 70 x 70 cm usando uma mistura de 50% de solo original e 50% de um bom substrato enriquecido com 500 g de farinha de ossos, 300 g de calcário dolomítico e 100 g de superfosfato simples. Leve em conta que esta é uma espécie de grande porte, precisando de um bom espaço para seu desenvolvimento.

      Abraços

  12. Celia santos

    Cidade: São paulo - SP

    Estou produzindo ravenalas a árvore do viajante, tem aparecido algumas manchas amarelas e secando as folhas, ė doença? Pode ser a mesma da bananeira? Sigatoca negra? Como faço para cuidar?

  13. Estevão Salomão

    Cidade: Belo Horizonte - MG

    Gostaria de saber se existe falsa pitaya; pois encontrei um cacto abandonado em um muro e a fruta parece uma pitaya.

  14. Marcio Santos

    Cidade: Vitória - ES

    Olá Raul,

    Estamos com uma área com grama esmeralda bastabte deteriorada como nunca antes. Aplicamos forth equilibrio e adubo forth jardim na expectativa de recuperação, mas depois de quase 3 semanas da aplicação não há uma melhora perceptiva nas falhas da grama. Na ultima primavera foi aplicado uma cobertura de terra. O problema começou no final de janeiro. Esta área fica a maior parte do tempo exposta ao sol, até às 15h e durante o verão é regada diariamente no fim da tarde. Isso é algum tipo de fungo? Pesquisei nas suas respostas aqui e gostaria de saber se recomenda para o meu caso também a cobertura conforme a seguir:

    70% de areia lavada de rio,
    – 30% de Forth Condicionador Gramados,
    – 1 kg de húmus de minhocas por m²,
    – 100 g de calcário dolomítico por m²
    – 30 g de fertilizante Dimygrass por m².

    Desde já te agradeço pela atenção.

    • Olá Marcio,

      Antes de mais nada deve verificar se seu gramado foi afetado por algum fungo (ferrugem, mancha de curvularia, podridão de raízes, queima ou rhizoctonia).

      Faça o seguinte, passo a passo:

      – Areje o o solo onde o gramado está plantado. A camada de grama morta, raízes, folhas e caules, sufocam o solo, dificultando a respiração e o deixam mais propenso às doenças fúngicas;
      – Aplique 200 g de calcário dolomítico por m². Regue em seguida;
      – Aplique 30 g de sulfato de potássio por m² uma semana depois do calcário;
      – Depois de 3 dias faça pulverizações alternadas com Cupro Dimy e enxofre Dimy, semanalmente (3 de cada);
      – Depois desses tratamentos pode fazer uma cobertura usando:

      – 80% de areia lavada de rio,
      – 20% de Forth Condicionador Gramados,
      – 30 g de fertilizante Dimygrass por m².

      Em principio este manejo dará uma melhora no aspecto. Entretanto se o problema persiste, leve uma amostra da grama para ser analisada por um agrônomo.

      Abraços

  15. ANA MARIA NUNES HEY

    Cidade: GUARAPUAVA - PR

    Boa tarde Raul
    Pesquizando sobre tipos de ervas daninhas, aqui encontrei a minha pergunte já com sua orientação, inclusive com o nome do herbicida.
    Muita gentileza sua, você é o tipo de pessoa que faz a diferença neste mundo.
    Abraços
    Ana maria

  16. Luiz Felipe

    Cidade: Cabo de Santo Agostinho - PE

    Raul , eu fiquei surpreendido com o pinus da foto. Ele se desenvolveu na capital Macapá . Gostaria de saber que espécie é essa ,pois achei incrivel já que o clima não é ideal para essa espécie.

    • Olá Luiz Felipe,

      Essa foto não chegou até nós, entretanto, embora as coníferas sejam de climas temperados, existem alguns Pinus nativos nos trópicos. A saber:

      – Pinus merkusii – pinheiro-de-sumatra;
      – Pinus caribaea var.hondurensis – pinheiro de honduras;
      – Pinus Longifolia – pinheiro da índia;
      – Pinus khasya – pinheiro da birmania;
      – Pinus tropicalis – pinheiro de centroámerica;
      – Pinus occidentalis – pino criollo.

      Abraços

  17. Eliana Beck

    Cidade: Florianópolis - SC

    Hoje não venho pedir conselhos sobre plantas, e sim para admirar o que tu escrevestes. CARTA a Burle Maux é demais Aqui vai toda minha admiração e carinho. Posso presentear-te com um arranjo que fiz? Um beijo grande Raúl.

    • Oh, Eliana,

      Fico sensibilizado com seu comentário. Muito obrigado. Roberto Burle Marx foi muito importante na minha formação profissional.

      Beijos de seu amigo

  18. Sandra C B Mathias

    Cidade: Serra - ES

    Tenho um kaizuca plantada há uns três meses que está toda amarelada e secando, a terra aqui é meio arenosa. O que posso fazer?

  19. Ernesto Pavan Junior

    Cidade: Americana - SP

    Prezado Sr. Raul, bom dia!
    Agradeço a atenção costumeira. O Senhor ajudou-me bastante identificando a planta Polypodium subauriculatum. Em sendo um tipo de samambaia, gostaria de saber se ela se adaptaria a um floreira elevada do solo e cultivada a sol pleno.
    Mais uma vez, agradeço-lhe.
    Ernesto

    • Não Ernesto,

      Ela não suporta o sol, nem mesmo por poucas horas. Entretanto as que seguem são pendentes e devem ser cultivadas a pleno sol:

      – Muehlenbeckia complexa – dinheiro-em-penca;
      – Jasminum mesnyi – jasmim-amarelo;
      – Plectranthus coleoides “Variegata”- plectranto (FOTO);
      – Pelargonium peltatum – gerânio-pendente;
      – Allamanda cathartica – alamanda-amarela;
      – Vinca major – vinca;
      – Plumbago auriculata – bela- emília.
      – Lepismium houlletianum – cacto-pendente;
      – Sedum morganianum – dedinho-de-moça.

      Abraços

  20. Paulo Afonso de Oliveira Maciel

    Cidade: Igarassu - PE

    Olá Mestre, Lembro sobre a questão de se fazer covas para replantio, na forma redondas ou quadradas. Veja o que encontrei: Um planta de Rosa do Deserto foi plantada em uma forma de “Flan/Gelatina”. Observa-se, nas fotos em anexo, que as raízes ficaram rosqueadas / enroladas em cada curva da forma.

    • Oba! Que legal, Paulo Afonso,

      Tá vendo como faz sentido?! As fotos não chegaram, mas posso imaginar.

      Obrigado, abraços

  21. ELARA chemin

    Cidade: CURITIBA - PR

    Olá mestre das plantas!
    Queria umas dicas de plantas para ficar dentro de um ambiente sem iluminação natural.
    Para parede verde e tb solo!
    Se puder me ajudar, adoro seus conselhos!

    algo para substituir as plantas da foto em anexo que esta feio sem graça

    • Pronto Elara,

      Agora vou selecionar algumas para essa sem iluminação natural.

      Dieffenbachia amoena – comigo-ninguém-pode;
      Aglaonema commutatum – café-de-salão;
      Monstera deliciosa – costela-de-adão;
      Zamioculcas zamiifolia – zamioculcas;
      Dizygotheca elegantissima – arália-elegante;
      Aspidistra elatior – aspidistra;
      Dracaena sanderiana “Variegata” – dracena-sanderiana (FOTO);
      Lytocaryum weddellianum – palmeirinha-de-petrópolis;
      Pinanga kuhlii – palmeira-pinanga;
      Rhapis excelsa – palmeira-ráfis.

      Abraços

  22. ELARA chemin

    Cidade: CURITIBA - PR

    Olá mestre das plantas!

    Queria umas dicas de plantas para ficar dentro de um ambiente sem iluminação natural.
    Para parede verde e tb solo!

    Se puder me ajudar, adoro seus conselhos!

    algo para substituir a parede verde da foto em anexo, pois atualmente esta escura

    • OK Elara,

      Seguem algumas plantas ideais para jardins verticais com pouca luz natural:

      Peperomia obtusifolia – pepêromia;
      Chlorophytum comosum – clorofito;
      Plectranthus nummularius – hera-sueca;
      Nephrolepis exaltata – samambaia-amaericana,
      Adiantum raddianum – avenca;
      Pteris ensiformis “Victoriae” – samambaia-prata-miuda (FOTO);
      Syngonium angustatum – pé-de-galinha;
      Davallia fejeensis – renda-portuguesa;
      Tradescantia zebrina purpusii – lambari-roxo.

      Abraços