Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Murraya paniculata

Murta-de-cheiro, falsa-murta, jasmim-laranja, murta-da-índia, murta-dos-jardins

Foto de Forest & Kim Starr, CC BY 3.0, via Wikimedia Commons

Esta é uma arvoreta que também pode ser considerada um grande arbusto, com uma fronde densa e ramificada. Quando não podado a ramificação surge a 50 centímetros do solo, mostrando um tronco fissurado. As flores brancas, muito perfumadas, despontam várias vezes ao ano,  infelizmente quando podada em cercas esta floração é malograda. Recomendo seu uso em ruas estreitas, sob fiação de redes elétricas, já que o desenvolvimento e limitado, possibilitando uma linda arvoreta, se conduzida através de podas mostrando o tronco. Igualmente pode ser aproveitada como uma barreira acústica, devido a sua densa folhagem e em vasos em terraços e pátios.

Depois da floração aparecem frutinhos vermelhos, alongados, carnosos e adocicados, muito procurados pelos beija-flores, abelhas e borboletas. É interessante pulverizar a planta com sulfato de ferro, para prevenir possível clorose. Também pode ser atacada por pulgões, cochonilhas e mosca-branca. Igualmente pode ser infestada pela fumagina e para evitar isto não devem ser molhadas as folhas nos finais de tarde, mas apenas deve-se regar na parte da manhã.

Foto de Forest & Kim Starr, CC BY 3.0, via Wikimedia Commons

Infelizmente é hospedeira do inseto Diaphorina citri, vetor do greening dos citros, doença causada pela bactéria candidatus liberibacter americanos, deixando as folhas amareladas. O distúrbio causa prejuízos à citricultura, o que levou em várias cidades a uma eliminação dela nos jardins. Isto não deve ser um impedimento para seu uso no paisagismo citadino.

O gênero é dedicado a Johann Andreas Murray (1740-1791), um médico e botânico sueco, discípulo de Carl Linnaeus (1707 – 1778). Foi Linnaeus quem a batizou primeiramente de Chalcas paniculata, em 1767. Na Índia as flores são usadas em tinturaria e também em essências aromáticas para perfumar chás e na Malásia, as folhas são usadas como tempero nas sopas, nos peixes, frangos e carnes.

É reproduzida através de sementes, semeadas imediatamente após a colheita e também por estaquia ou alporquia.

Foto de Jason Hollinger, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons

  • Sinônimos estrangeiros: orange jessamine, china box, mock orange, (em inglês); jazmín naranjo, azahar de la India, limonaria, jazmín de azahar, (em espanhol); buis de Chine, bois jasmin, oranger jasmin, bois de satin, (em francês); shi gui shu, qian li xiang, yue ju, kau lei heung, jiu li xiang, (em chinês); kamini marchula, pandari, nagagolunga, konji, angarakana gida, bian malika. (na Índia); gekkitsu, inutsuge, kuribana, gigicha, gigichi, (em japonês); kemuning putih, kemuning, (em malaio); bajardante, (em nepalês).
  • Família: Rutaceae.
  • Características: arvoreta ramificada.
  • Porte: até 6 metros de altura.
  • Fenologia: as flores aparecem várias vezes ao ano.
  • Cor da flor: branca de fragrância doce e delicada.
  • Cor da folhagem: verde escuro e brilhante.
  • Origem: Índia, Malásia, Nordeste da Austrália e Sul da China.
  • Clima: tropical/subtropical.
  • Luminosidade: sol pleno ou sombra parcial.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

2 Comments

  1. Como posso ter essa planta sem ter o hospedeiro que danivifica as cítricas?

    • Celu,

      As armadilhas adesivas de cor amarela, são eficientes como preventivas e o Privilege é um inseticida da Ihara eficiente para o controle.

      Abraços

Secured By miniOrange