Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

A biodiversidade e o jardim que você ainda não viu

A criatividade pode ser definida pela capacidade de gerar algo novo e que tenha algum valor para alguém. Você pode criar uma nova música, um novo dispositivo, um novo jardim ou até uma nova desculpa para o fato de nunca ter criado nada… Acredite, tudo isso exige criatividade! Mas existe algo mágico no ato de criar. Normalmente, não criamos os elementos em si, apenas novas maneiras de rearranjar tais elementos, gerando diferentes pontos de vista e diferentes interações. Toda a música ocidental é feita variando essencialmente a duração e a altura das mesmas 12 notas!

A belíssima e ainda não domesticada Raddia portoi, crescendo na natureza.

Criar jardins está entre as mais complexas das atividades humanas. É arte, mas tem que funcionar tão bem quanto a própria natureza. Algumas necessidades simples – como água, luz, solo e temperatura – precisam ser satisfeitas, ou seu impulso criativo vai para o brejo e seu jardim será apenas uma instalação temporária. Plantar um cacto dentro de um aquário (com água) pode ser uma incrível crítica social ou uma subversão criativa, mas dificilmente terá alguma viabilidade horticultural. No mundo dos jardins, buscar soluções originais que sejam artísticas e viáveis é sempre um desafio. Haja criatividade!

À sua própria maneira, a natureza exerce sua criatividade há milênios. Cada uma das cerca de 250.000 espécies de plantas que existem hoje no planeta é fruto de um processo que a testou e aprovou em seu habitat de origem. Qualquer que seja seu projeto paisagístico, deve existir uma planta no mundo que traga uma solução estética original e ainda seja adequada para as condições de água, luz, solo e temperatura que você tem disponível. Mas onde eu encontro tais plantas? Como aumento meu repertório paisagístico? Como transformo a biodiversidade em novas “notas” para meu jardim?

O “debut” no paisagismo de Philodendron edmundoi (projeto de Eduardo Gonçalves).

É aí que está o problema. De todas estas espécies que existem no mundo, apenas uma pequena fração está disponível para ser usada nos jardins. No Brasil temos cerca de 30.000 espécies vegetais conhecidas e menos de 100 (talvez 50) realmente são usadas. E muitas delas se tornarão extintas antes mesmo de serem descobertas!

Vivemos hoje em um mundo que anseia por novidades. Na busca pelo que é diferente, até subverter a natureza das plantas colocando-as num vaso de cabeça para baixo parece razoável… Mas pouco tem sido feito para domesticar o imenso potencial que a flora brasileira possui. Roberto Burle Marx foi um dos maiores paisagistas de todos os tempos, senão o maior. E um dos seus principais trunfos foi utilizar em seus projetos plantas que jamais tinham frequentado os jardins, ainda que muitas delas crescessem livremente nas matas próximas. Tenho certeza de que se ele precisasse fazer um jardim com as 20 espécies mais usadas no Brasil, certamente sairia algo belo. Mas por que sempre repetir os mesmos elementos, quando temos acesso a um repertório quase ilimitado?

Ninguém disse que é fácil. Muitas destas plantas precisam ser introduzidas em cultivo pela primeira vez. Para que seja um bom negócio para quem produz, a melhor forma de multiplicá-las também deverá ser definida, bem como as condições ideais de cultivo. É um trabalho que envolve diferentes profissionais, mas culmina com a introdução de uma nova nota para nas nossas sinfonias paisagísticas. Vale a pena?

Eu verdadeiramente acredito que vale a pena, e persigo essa crença como uma parte vital nos meus trabalhos. Não tenho medo de dizer que o jardim mais bonito do mundo é aquele que ainda não foi feito. Ouse!

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

5 Comments

  1. Eduardo, tudo bem? Concordo plenamente. Perdemos nossa riqueza, perdendo a biodiversidade. Eu estou construindo uma casa e quero criar um bioma incluindo frutas, hortas e paisagismo. Será que é possível? Quem poderia me ajudar, já que minha cidade é pouco aberta as novidades, a ousar. Vc poderia me ajudar?

    • Olá Augusto,

      Posso ajudar, sim. Isto pode ser feito através de uma consultoria ou de um projeto paisagístico.

      Precisaria de mais detalhes para encontrar a melhor maneira de ajuda-lo.

      Poderia me informar melhor?

      Abraços

  2. Olá Eduardo.Tudo bom? Sou bióloga e trabalho com jardins a mais de cinco anos e também sou professora na área de botânica. Uma dúvida me perturba todos os dias e gostaria de saber sua opinião sobre esse assunto. Aqui no interior sou criticada por ser bióloga e trabalhar com paisagismo , pois os arquitetos dizem que somente eles são autorizados pelo seu Conselho. Como devo agir neste caso? Conheço poucos biólogos que trabalham nesta área. O nosso conselho de biologia regulariza nossa trabalho nesta área? Pelo que li atualmente não vi nada a respeito. Abraço Lucília

  3. Muito bom!! Parabéns a todos que fazem este trabalho.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Yamandu | Eduardo Gonçalves no Jardim Cor - [...] A biodiversidade e o jardim que você nunca viu –  Sobre o uso de novas espécies no [...]
Secured By miniOrange