Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Rosmarinus officinalis

alecrim

Rosmarinus officinalis

Ele, cujo nome botânico significa orvalho do mar, cicatrizou um ferimento na orelha de Dom Quixote, segundo seu criador, o escritor Miguel de Cervantes. Usando uma pasta feita com as folhas amassadas com sal, azeite e vinho o “Cavaleiro da triste figura” fazia o bálsamo de fierabrás que, depois de benzido, era capaz de curar qualquer mal.

A essência dele contém pineno, eucaliptol e cânfora, substâncias responsáveis pelo aroma característico que muitas vezes aparece nos vernizes e nas graxas de sapatos de boa qualidade. Usado também na fabricação de perfumes, sabonetes e cosméticos, o alecrim estimula os folículos do cabelo, escurecendo-o e evitando em parte sua queda. Nas massagens melhora a circulação reduzindo a celulite. Utilizada como anticéptico bucal, é levada muito a sério na França, onde especialistas dão vereditos olfativos valorizando-o, inclusive para aromatizar as águas do banho. A água de Hungria, por exemplo, é um cosmético muito antigo, feito para a rainha desse país pelo seu perfumista, que usava alecrim como o principal componente, misturando flores de laranjeira entre outros. Quando aproveitada para aromatizar e purificar ambientes, pode ser combinado com erva-doce, ajudando desse modo a concentração mental.

Rosmarinus officinalis

Era costume antigamente desfolhar alecrim sobre o caixão do defunto, mostrando que ele nunca seria esquecido, já que representava a saudade na linguagem das flores. No túmulo de Julieta, na tragédia de Shakespeare, Frei Lourenço, confidente de Romeu, dirigindo-se aos Capuleto – pais da infortunada moça – os estimula para que derramem alecrim sobre o corpo. Também se acreditava, no século XVI, que colocando um galhinho embaixo do travesseiro podia-se dormir livre do assedio das bruxas.

Mas o uso mais popular é para temperar carneiro, carne de porco, frango, cabrito, coelho, sopas, além de acompanhar bem batatas coradas, berinjelas e couve-flor. Também os vinagres, a manteiga e os azeites podem ser aromatizados com ele. Salpicando as brasas do carvão, perfumam a carne do churrasco e espantam as moscas. Na célebre Bisteca alla Fiorentina o alecrim é indispensável.

Deve ser cultivada em terras com pH quase neutro, por volta de 6,5, enxutas, arenosas ou até pedregosas, nunca em fundos de vale úmidos. Entre as mudas deve-se guardar uma distancia de 70 cm, no mínimo.

  • Sinônimos estrangeiros: rosemary (em inglês); romero (em espanhol); rosmarinen (em alemão); romarin (em francês); rosmarino, ramerino (em italiano); clíl (em árabe).
  • Família: Labiatae.
  • Características: herbácea perene.
  • Porte: 0,60 a 1,50 metros de altura. Há uma variedade rasteira, o ‘Prostratus’ .
  • Fenologia: o ano todo, principalmente primavera, verão e outono.
  • Cor da flor: azul-lilás, raramente róseas ou brancas.
  • Cor da folhagem: verde-escuro e acinzentada no reverso. A forma das folhas lembram a dos pinheiros.
  • Origem: Encostas altas e secas da costa do Mediterrâneo.
  • Clima: temperado ou subtropical.
  • Luminosidade: sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

16 Comments

  1. Boa noite Raul, preciso cuidar desta planta para uma cliente , é originária do Amazonas, será que posso transplabta-la? Está há muitos anos no mesmo vaso e está cheio de raizes , será que posso mexer em suas raizes ?

    • Boa noite Rose,

      Infelizmente a imagem da planta não chegou até nós, entretanto toda planta que ocupa um vaso durante anos, agradeceria mudar para um espaço mais amplo, onde as raízes possam estender-se melhor.

      Abraços

  2. Bos tarde gostei muito das informações. Já ouvi falar muito sobre o alecrim e tenho uma linda arvoreta acho lindas as flores minúsculas e perfumadas. Gostaria de saber se ele faz bem ou mal para quem tem pressão arterial alta. Obrigada

    • Boa tarde Elisa,

      As opiniões estão divididas enquanto aos benefícios do chá de alecrim. É muito comum ouvir sobre as virtudes que aporta para quem tem pressão alta. Mas já li ao respeito matérias criticando.

      Em fim, acho que vale a pena testar.

      Abraços

  3. Amei as informações! Aliás, amo tudo que voce posta!

    • Oh, Lucia,

      Que bom você ter gostado da matéria. Obrigado por acompanhar nosso trabalho!

  4. Gran profesional lero a diario sus publicaciones. Este del Romero uno de los muchos interesante.

    • Hola Marisol,

      Gracias por el comentario!

  5. Raul, que legal este post!
    O alecrim é o meu aroma favorito!
    É possível utilizá-lo fora dos cosméticos para tratar os cabelos, tanto para escurecer quanto para diminuir queda?
    Obrigado e um abraço,
    Rodrigo

    • Claro, Rodrigo,

      Coloque dentro do vidro de shampoo, um galinho de alecrim e use normalmente. Ele dá bons resultados!

      Abraços

  6. Estimado Raul,

    Estou adorando esta série de matérias sobre as plantas aromáticas e medicinais, será de grande valia aos leitores deste brilhante Blog!!!

    Parabéns amigo,

    Saudades

    Júnior Horta

    • Caríssimo Junior,

      Esse elogio vindo de você tem um sabor especial, obrigado!

      Mas o Jardim Cor está carente de suas matérias. Ninguém melhor do que você para escrever sobre plantas aromáticas e medicinais.

      Esperamos por seus textos!

      Abraço grande!

  7. Raul,
    Parabenizo-o pela sua sensibilidade, bom gosto e competência. Sou assinante da Revista Natureza há quatro anos e me fascina principalmente quando vejo um projeto seu.
    Obrigada por criar este espaço em que podemos sanar as nossas dúvidas em relação as plantas. É um conforto vê a sua doação em nos orientar.
    Atenciosamente,
    Tânia de Castro Martins

    • Obrigado Tânia, suas palavras são um incentivo para trabalhar mais e melhor!

  8. Simplesmente amei!!!

    • Oi Andreia, já que gostou do post, experimente fazer essa Bisteca alla Fiorentina. É maravilhosa!