Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Salix babylonica

salgueiro-chorão, salso-chorão

Foto de © William Crochot / Wikimedia Commons

Uma árvore que desenvolve em solos úmidos com a capacidade de saneá-los absorvendo a água em excesso e protegendo a área da erosão, sua casca é acinzentada com uma leve tonalidade alaranjada e fissuras profundas e os ramos são longos e flexíveis, pendendo graciosamente até o solo, criando a forma característica da árvore. Embora seja nativo da China, o salgueiro-chorão é cultivado em muitas partes do mundo, especialmente em áreas temperadas. É uma árvore resistente que pode crescer em uma ampla variedade de condições de solo, desde solos úmidos até solos moderadamente secos. Ele também é conhecido por sua tolerância ao frio e pode suportar geadas e temperaturas abaixo de zero.

Foto de Yellow-Red7, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Além de sua popularidade como árvore ornamental em parques, jardins e ao longo de cursos de água, o salgueiro-chorão também possui usos práticos. Devido à sua madeira flexível e leve, é frequentemente utilizada na fabricação de cestos, móveis, papel e instrumentos musicais. Além disso, suas cascas contêm compostos que têm propriedades medicinais e são tradicionalmente utilizadas na medicina herbal para tratar dores e inflamações.

Foto de NobbiP, CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons

O salgueiro cresce muito rápido, mas sua vida é curta, entre 40 e 75 anos, talvez por esse motivo, os gregos acreditavam que ao plantar esta árvore e vê-la crescer ajudaria a passagem da alma no mundo dos mortos. O nome “babylonica” é uma referência ao antigo reino da Babilônia, mas a planta não é nativa da região da Mesopotâmia.

No Brasil, o salgueiro-chorão é frequentemente associado à figura da Iara, uma sereia que vive nos rios e encanta os homens com seu canto; também era associado à bruxaria e magia. Em algumas regiões, era costume usar galhos de salgueiro para afastar maldições e espíritos malignos.

É propagado por estacas muito facilmente.

  • Sinônimos estrangeiros: sauce llorón, (em espanhol);  weeping willow, (em inglês); saule pleureur, (em francês); salice piangente, (em italiano);  trauerweide, (em alemão); chuí liǔ, (em chinês); shidareyanagi, (em japonês).
  • Família: Salicaceae.
  • Características: árvore decídua com ramos pendentes.
  • Porte: 10 a 15 metros de altura.
  • Fenologia: início da primavera.
  • Cor da flor: amarela.
  • Cor da folhagem: verde clara acinzentada.
  • Origem: norte da China, Mongólia, Coreia, Manchúria.
  • Clima: temperado, subtropical. Tolerante a geadas.
  • Luminosidade: sol pleno.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secured By miniOrange