Ficus dendrocida

dez 26, 2016 por

mata-pau, figueira-mata-pau, gameleira, figueira-branca, figueira-brava

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana - Rio de Janeiro

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana – Rio de Janeiro

Frequentemente nasce sobre o tronco de outra árvore, graças a disseminação de suas sementes que são espalhadas pelas fezes dos morcegos frutívoros, dos porcos do mato e dos macacos. A pequena muda agarrada a seu hospedeiro, sobe verticalmente a procura da luz solar (fototropismo) e solta as raízes em direção do solo (geotropismo). Lentamente envolve a árvore ou palmeira acolhedora (a palmeira acuri (Attalea phalerata) é o exemplo mais comum no Pantanal mato-grossense) e acaba por sufocá-la até a morte por causa de seu epifitismo. Com o apodrecimento dela um grande oco se forma em seu lugar servindo de abrigo para um grande número de animais.

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana - Rio de Janeiro

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana – Rio de Janeiro

Seu plantio na beira dos rios é conveniente já que evita a erosão do solo, ajudando a conservar as águas e servindo, com seus frutos, como alimento dos peixes. Por outra parte este é o solo ideal para seu desenvolvimento, que requer solos úmidos.

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana - Rio de Janeiro

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana – Rio de Janeiro

O Ficus dendrocida engrossa um gênero composto por aproximadamente 900 espécies de árvores arbustos e trepadeiras, fato que induz a confusões taxonômicas, que prevalecem entre os botânicos.

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana - Rio de Janeiro

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana – Rio de Janeiro

 

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana - Rio de Janeiro

fotos feitas no Aterro do Flamengo e no Campo de Santana – Rio de Janeiro

  • Sinônimos estrangeiros:  kill-wood-fig (em Inglês); matapalo, higuerón, higuerote (em espanhol).
  • Família: Moraceae.
  • Características: árvore semi-caducifólia. Grande porte e tronco escultural.
  • Porte: 10 a 15 metros de altura, alcançando quase 30 metros no interior da mata amazônica.
  • Fenologia: Final do inverno, inicio da primavera.
  • Cor da flor: creme.
  • Cor da folhagem: verde, com folhas coriáceas e perfumadas de até 9 cm de comprimento e 6 cm de largura.
  • Origem: Colômbia, Panamá, Venezuela, Bolívia e Brasil, do Amazonas até o Paraná, passando pelos Estados centrais, em especial no Pantanal mato-grossense
  • Clima: Tropical, não suporta temperaturas abaixo dos 10ºC
  • Luminosidade: sol pleno.
Raul Cânovas nasceu em 1945. Argentino, paisagista, escritor, professor e palestrante. Com 50 anos de experiência no mercado de paisagismo, Cânovas é um profissional experiente e competente na arte de impactar, tocar, cativar e despertar sentimentos nos mais diversos públicos.

Posts relacionados

Compartilhe

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

*

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.