Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

As cercas com plantas

Cercas ou sebes sempre foram inquietudes quando precisamos, nos limites da propriedade, bloquear as vistas de fora para lograr intimidade, assim como impedir a entrada de estranhos e animais. Há várias formas de conseguir esse objetivo e as plantas são ideais para esta missão. Mas é importante levar em conta a manutenção dessas plantas, que requer regas, podas, adubação e combate a pragas e doenças. Portanto se escolhemos plantas do bioma onde estamos, será muito mais fácil a conservação deste fechamento ao redor do jardim, já que elas estão aclimatadas e adaptadas às condições da região.

Breynia nivosa

Este muro vegetal, recoberto de folhagem desde o solo até o topo, com ramos entrelaçados de maneira densa, tornará o agrupamento intransponível, impedindo também a visão de estranhos. Eu, pessoalmente, não sou fã de cercas homogêneas formadas por uma única planta, como a falsa-murta (Murraya paniculata), por exemplo, prefiro os renques com plantas variadas, que suportem as secas, sejam resistentes às pragas e doenças e não precisem das tesouras para poda-las permanentemente. Elas devem criar um agrupamento com diferentes portes, formas e tonalidade, dando flores nas quatro estações.

Kopsia fruticosa

Algumas podem ser espinhentas, para garantir que invasores não penetrem na propriedade. O importante é garantir um belo conjunto que preste este serviço de modo harmônico e sustentável, com uma longa durabilidade.

Spiraea cantoniensis

A seguir relacionamos arbustos para formação dos renques:

Abelia grandiflora abélia
Acalypha godseffiana acalifa-fina
Acalypha wilkesiana acalifa-de-folha-grande
Allamanda polyantha alamanda-erecta
Bambusa gracilis bambusa-gracilis
Bambusa metake bambú-metake
Bambusa multiplex “Elegans” bambu-folha-de-samambaia
Bambusa ventricosa buddha’s belly
Bambusa vulgaris bambú-imperial
Bambusa vulgaris vittata bambu-brasil
Biancaea decapetala espinho-de-cerca
Breynia nivosa mil-cores
Brunfelsia uniflora manacá-de-cheiro
Buxus sempervirens buxinho
Caesalpinia pulcherrima flamboyãzinho
Calliandra tweedii caliandra
Callistemon citrinus escova-de-garrafa
Camellia japonica camélia
Clusia fluminensis clúsia
Codiaeum variegatum cróton
Cordia leucocephala moleque-duro
Cupressus lusitanica cedrinho
Cupressus sempervirens cipreste italiano
Dendrocalamus giganteus bambu-gigante
Dracaena fragrans massangeana pau-d’água
Duranta repens “Aurea” pingo-de-ouro
Dypsis lutescens palmeira-areca-bambu
Elaeagnus pungens oleagno
Ervatamia coronaria jasmim-café
Euphorbia cotinifolia caracasana
Euphorbia leucocephala neve-da-montanha
Euphorbia tirucalli avelós
Fargesia jiuzhaigou “Red panda” bambu-panda-vermelho
Galphimia brasiliensis resedá-amarelo
Gardenia jasminoides gardênia
Grevillea banksii grevílea-anã
Hibiscus rosa-sinensis hisbisco
Hibiscus syriacus rosa-de-sharão           
Hydrangea macrophylla hortênsia
Ipomoea carnea ipoméia-arbustiva
Ixora chinensis ixora-vermelha
Kopsia fruticosa cópsia
Lantana camara cambará
Leptospermum scoparium falsa-érica
Ligustrum sinense ligustrinho
Malpiguia ilicifolia falso-azevinho
Malvaviscus arboreus malvavisco
Murraya paniculata murta-de-cheiro.
Nandina domestica nandina
Nerium oleander espirradeira
Phormium tenax fórmio
Phyllostachys aurea bambu-vara-de-pesca
Phyllostachys nigra muchisasa bambú-preto
Pittosporum eugenioides  “Variegatum” pitósporo
Pittosporum tobira
pitósporo japonês
Pleioblastus variegatus bambú-listrado
Podocarpus macrophyllus podocarpo
Pyracantha coccinea piracanta
Quisqualis indica jasmim-da-índia
Rhododendron simsii azaleia
Sanchezia nobilis sanquésia
Schefflera arboricola cheflera-pequena
Spiraea cantoniensis buquê-de-noiva
Thunbergia erecta tumbérgia-arbustiva 
Tibouchina moricandiana quaresmeira-arbustiva
Tibouchina mutabilis “Nana” manacá-da-serra-anão
Viburnum tinus viburno

 

Carissa macrocarpa

A relação de arbustos que se segue são espinhentos e podem ser aproveitados para evitar a passagem de pessoas e animais:

Agave americana piteira
Agave americana “Marginata” piteira-marginada                                     
Agave angustifolia “Marginata” agave-da-borda-amarela
Aiphanes aculeata cariota-de-espinho
Ananas bracteatus “Striatus” abacaxi-listrado
Berberis thunbergii berbére-japonês
Bougainvillea spectabilis primavera
Carissa macrocarpa ameixa-de-natal
Euphorbia milii coroa-de-cristo
Euphorbia trigona candelabro
Mimosa caesalpineafolia sansão-do-campo
Poncirus trifoliata limão-amargo
Pyracantha coccinea piracanta
Yucca aloifolia iuca-brava

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

12 Comments

  1. Boa tarde st Raul, tudo bem? Quero plantar cipreste ittaliano próximo ao
    muro e a piscina, pq surgiu uma construção no vizinho que quero disfarçar. Pelo que li vai ser adequado, pois quero que cresça rápido . Qual
    distância que devo deixar entre as mudas? Quero mudas altas, o senhor conhece produtor para indicar? Moro em Campinas, Sp. Obrigada! PS: todas as suas orientações resultaram benéficas para o meu jardim e o livro é ótimo !

    • Boa tarde Lilian,

      A distancia entre as mudas deve ser de, no mínimo, 1,20 metros e também não devem ser plantados a menos do que 1 metro do muro, já que o sol deve alcançar todas as faces.

      Para compra de mudas, consulte o Edilson Giacon, do Viveiro Ciprest: https://www.ciprest.com.br/

      Abraços

  2. Que ideia maravilhosa vou fazer na minha chácara tenho uma cerca de arame de 60 metros, não quero murar qual especie me aconselha, tem sol o dia inteiro

  3. Que ideia maravilhosa vou fazer na minha chácara tenho uma cerca de arame de 60 metros, não quero mirar qual espwciecme aconselha, tem sol o dia inteiro

  4. Que ideia maravilhosa vou fazer na minha chácara tenho uma cerca de arame de 60 metros, não quero mirar.

    • Obrigado Ivone pelo comentário!

      Sugiro as seguintes:

      – Caesalpinia pulcherrima – flamboyãzinho;
      – Calliandra tweedii – caliandra (FOTO);
      – Euphorbia leucocephala – neve-da-montanha;
      – Kopsia fruticosa – cópsia;
      – Quisqualis indica – jasmim-da-índia;
      – Thunbergia erecta – tumbérgia-arbustiva.

      Abraços

  5. Olá
    Gostaria saber qual delas nao necessita de sol direto. O lugar é claro, mas nao bate sol direto, devido ao sombreamento das casas. Obrigsda

    • Olá Lourdes,

      Recomendo as que seguem para um lugar sombreado:

      Megaskepasma erythrochlamys – justicia-vermelha;
      Eranthemum pulchellum – camarão-azul;
      Polyscias guilfoylei – arália-cortina
      Schefflera actinophylla – cheflera-alta;
      Dracaena fragrans massangeana – pau-d’água;
      Aglaia odorata – aglaia;
      Leea coccinea – léia;
      Pseuderanthemum atropurpureum – pseudoerântemo (FOTO).

      Abraços

  6. OI RAUL,
    MORO NO RIO DE JANEIRO, TENHO UMA CERCA VIVA DE MURTA ONDE BATE SOL PRATICAMENTE O DIA TODO, GOSTARIA DE MESCLAR COM OUTRA ESPÉCIE QUE TB DESSE FLORES EM ÉPOCA DIFERENTE DA MRUTA.
    QUAL A SUA SUGESTÃO?

    • Oi Aline,

      A falsa-murta (Murraya paniculata) floresce o ano inteiro. As que seguem podem ser incorporadas na sua cerca, florescendo em diferentes épocas, como está indicado:

      Tibouchina mutabilis “Nana” – manacá-da-serra-anão – inverno
      Senna alata – maria-preta – verão/outono
      Tetradenia riparia – limonete – inverno (FOTO)
      Euphorbia leucocephala – neve-da-montanha – outono/inverno
      Rhododendron simsii – azaléia – inverno
      Abelia grandiflora – abélia – verão/outono/inverno.

      Abraços

  7. Mestre amo as murtas são lindas

    • Oi Luiz,

      Sim, as falsas-murtas são lindas, mas não devem ser topiariadas, porque desse modo, com essas podas, a floração é inibida.

      Abraços