Sobre o Blog e Contato

Paisagismo e Jardinagem

Flor do deserto

A Rosa do Deserto torna-se muito atrativa pela beleza das flores e a forma do caule

Flor do Deserto

A Rosa do Deserto (Adenium obesum), também chamada de Flor do Deserto, é uma planta perene e suculenta que produz deslumbrantes e grandes flores vermelhas e cor-de-rosa. Originária do Sul da África e da Península Arábica, torna-se cada dia mais procurada para ser cultivada no Brasil, onde tem atraído olhares e conquistado admiradores nas principais feiras de paisagismo e jardinagem do país.

Este arbusto suculento, com troncos muito grossos, apresenta folhas verdes brilhantes e ramos cinza lisos. Pode chegar a crescer até 3-4 metros de altura. As flores, que crescem em aglomerados, apresentam pétalas tubulares na base e extremidades alargadas. Reproduz-se melhor através de enxertos, uma que vez que a polinização não é muito eficaz. Ela cresce bem tanto em jardins exteriores, quanto em vasos para ambientes internos, quando se deve tomar toda a precaução com a drenagem.

A Rosa do Deserto torna-se muito atrativa pela beleza das flores, mas também pela forma pouco comum do caule muito desenvolvido na base, para que possa suportar fortes ventos e acumular água. Habituadas ao clima do deserto, também se adaptam e se desenvolvem bem em países tropicais. Ela necessita de plena luz solar e é tolerante ao calor. O solo deve ter drenagem rápida, uma vez que o apodrecimento da raiz e do tronco são doenças comuns.

Flor do Deserto

É recomendado fertilizar as plantas a cada duas semanas durante a primavera, especialmente quando as mesmas são jovens. Durante a primavera deve-se regar regularmente, mas durante o inverno o solo deve permanecer seco.

Normalmente esta planta irá florescer muito pouco tempo depois que é plantada, o que vai se repetir duas vezes ao ano, sendo a primeira na primavera e a segunda no final do verão ou começo do outono. De vida longa, a Flor do Deserto tem beleza realmente marcante, com apaixonados e colecionadores por todo o mundo.

Formada em Engenharia agronômica, pela Escola de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ-USP e em Direito, pela Instituição Toledo de Ensino.
Tem pós graduação em Gestão Ambiental, pela ESALQ-USP e em Técnicas de Treinamento em Engenharia Agrícola, pela Sociedade Agrícola Alemã.
Desenvolve projetos de paisagismo, tendo experiência como proprietária da empresa Estado de Sítio Paisagismo, como professora universitária da disciplina e na direção de Horto Florestal , além de atividades de extensão na área ambiental e como colunista do tema.

Comente ou pergunte

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aviso! Está a tentar enviar uma imagem inválida. A imagem não vai aparecer com o seu comentário.

145 Comments

  1. Não sei se verá esse comentário mas como parece que entende de Rosa do Deserto talvez possa me ajudar a solucionar o que está acontecendo com ela.
    Um mês atrás vi que ela foi atacada por fungos, cortei as folhas, mais que isso, podei ela e tive que transplantar ela de vaso por conta de que as raizes estavam grandes demais, grudou no fundo do vaso, era o vaso errado enfim.
    Então em menos de um mês ela voltou a dar folhas, o caudex dela ficou até mais verde e pensei que estava bem. Fiz o substrato certo, coloquei até carvão na mistura, areia, apliquei o Cupro Dimy.
    Então ela voltou a apresentar aquelas manchas pretas que começam por pontinhos, vai tomando as folhas e fazendo elas cair.
    Notei teias nela, pensei ser acaro,
    Depois vi uns bichinhos que aprecem ser mosquinhas, tem asas meio brancas mas não sei se é mosca branca porque elas ficam apenas na terra…notei então uma das raizes secando, como se tivesse sendo comida.
    Comprei o K-Otrine pois que tem outras plantas que tem essas “mosquinhas” mas não está ajudando, nada parece matar elas e não sei mais o que fazer.
    Tentei de tudo:
    Oleo de Neem, Cupro Dimy, Calda de Fumo,Vinagre e o K-Otrine
    Por favor, eu ainda posso salvar a Rosa do Deserto?
    O que devo fazer?
    Ouvi dizer que para não ter mais pragas para usar uma terra de compostagem com restos de minhocas…o que acha?
    Espero que possa me ajudar e obrigada desde já.

    • Olá Fernanda Maria,

      As manchas pretas nas folhas indicam ferrugem que pode ser combatida com Cupro Dimy, mas deve ser aplicado três vezes, semanalmente. Essas mosquinhas podem ser controladas pulverizando com 5 ml de creolina diluída em 10 litros de água. Faça esta pulverização semanalmente, pelo menos três vezes.

      Espero que, por fim, solucione esses problemas.

      Abraços